Silvestre Gorgulho

Silvestre Gorgulho

"Na praça de Hiroshima, onde caiu a bomba Atômica, foi construído um Parque onde tremula a bandeira branca da Paz"

Mariane Vicentini

Não é sonho de domingo, mas a pura realidade. Para quem ainda não viu, só tem hoje para ver, em carne e osso, toda a beleza e competência de Mariane Vicentini, Paulo Burlamaqui e Jaqueline Sperandio que levam a peça “Cartas Portuguesas” no Teatro dos Bancários. Elas vivem o drama de amor, erotismo e sofrimento de uma freira portuguesa apaixonada por um oficial francês. A presença de Mariane enche de orgulho o brasiliense. Hoje, estrela global de primeira grandeza, Mariane é da primeira safra de formandos da Faculdade Dulcina de Teatro, ponto de referência de nossa cultura. Antes de acontecer em outros ibopes, Mariane brilhou nos palcos de Brasília como bailarina clássica e solista do Grupo Brasiliense de Balé. Com mais de 20 peças no currículo, Mariane Vicentini explodiu com sua atuação em três novelas: “Perigosas Peruas” , “Mapa da Mina” e “Explode Coração”, além da minissérie “Incidente em Antares”. No Cinema, ela participou do longa-metragem “A Terceira Margem do Rio”, de Nelson Pereira dos Santos, fez, também, “No Coração dos Deuses”, de Geraldo Moraes, em fase final de filmagen, em Tocantins. Prata da casa, com brilho próprio e muito além dos cerrados goianos, Mariane Vicentini abre a JANELA DA CORTE deste domingo.

1 - Sem medo de mentir: o Rio ou Brasília?
Brasília é minha cidade, onde fui criada, onde me formei e onde tive oportunidades para começar a minha vida profissional. É o céu mais bonito que já vi. Mas o Rio é lindo, sedutor, faz parte do eixo cultural e a TV Globo é no Rio.

2 - O que é melhor no Rio e ruim em Brasília e vice-versa?
Melhor no Rio: a praia do Arpoador até o fim do Leblon e as oportunidades de trabalho. Pior: a violência e a superficialidade. Melhor de Brasília: Liberdade, a família e os amigos. Pior: desemprego.

3 - Onde você se sente melhor, no teatro ou na tevê?
Sem comparação, no teatro

4 - Quem faz sua cabeça:
Cineasta: Geraldo Moraes, Nelson Pereira, Valtinho Salles e Walter Lima.
Escritor: Os poetas Mário Quintana e Pablo Neruda.
Político: Arruda
Artista: Dulcina de Moraes

5 - Qual o trabalho que lhe deu maior realização profissional?
É sempre o que estou fazendo no momento. E neste momento, no Cinema, faço “No Coração dos Deuses” e, no Teatro, “Cartas Portuguesas” e “Hilda Furacão”.

6 - Onde se representa mais no dia-a-dia. No Rio ou em Brasília?
Eu, pessoalmente, em lugar nenhum.

7 - Quem tem que representar mais: um artista, um político ou uma primeira-dama?
Eu, como atriz, interpreto os meus personagens. Na vida real prefiro as pessoas autênticas.

8 - Dá para viver de fazer teatro no Brasil?
É ainda muito difícil.

9 - Você participou ativamente das eleições de 94. Como será sua participação em 98?
Eu sempre faço, com paixão, o que eu acredito.

10 - Onde está o melhor: no Cinema ou na Televisão.
No Cinema.

11 - Já se viu, no teatro, uma atriz fazer vários personagens. Em “Cartas Portuguesas” é o contrário. Três atrizes fazem um mesmo personagem, no caso a freira Mariana Alcoforado? Isso é porque tem muito amor, sacrifício e desordem para uma só mulher?
Não. Esta foi uma opção do diretor. E nós vivemos intensamente o amor, o sacrifício e a desordem de Mariana.

12 - Historicamente, você acha que “Cartas Portuguesas” foi mesmo escrita por uma freira portuguesa?
Acho que sim. O texto transmite uma paixão tão viril que é impossível que uma mulher, uma freira não tenha escrito.

13 - Quem gosta de complicar mais numa relação amorosa, o Homem ou a Mulher?
O homem.

14 - Existe censura politicamente correta?
Não!

15 - Quem é artista dos bons nesse Brasil?
Muitos, o Brasil tem muitos artistas maravilhosos.

16 - Qual o pecado capital de Brasília?
Não ordenar o seu crescimento. Esse é o grande pecado dos governantes.

silvestre@gorgulho.com