Silvestre Gorgulho

Silvestre Gorgulho

"Na praça de Hiroshima, onde caiu a bomba Atômica, foi construído um Parque onde tremula a bandeira branca da Paz"

Fernando Leite

Silvestre Gorgulho

Fernando Leite é um técnico daqueles que todo governador gostaria de ter em sua equipe: além de profundo conhecedor de sua área de ação (distribuição de água e saneamento) é afinadíssimo com a política e tem uma forte preocupação com a responsabilidade social. Unindo estas três características, Fernando Leite, que é presidente da Caesb, acaba de promover uma mini-revolução na distribuição de água potável de Brasília: vai acabar com a história da conta de água dos prédios serem pagos pelo condomínio, assim ser rateada entre todos os moradores. Agora, cada morador de um edifício vai pagar pela água que consome. Como? Simples: orientado por Fernando Leite, o governador Joaquim Roriz enviou à Câmara Legislativa do DF um ante-projeto de lei que obriga a instalação em prédios novos de instrumentos para medição de uso da água em cada unidade residencial.

Isso se chama justiça distributiva. Mais do que isso. Isso significa incentivo à economia de água e diminuição do desperdício. Na verdade, é difícil para um aposentado que mora sozinho no apartamento 101 ver todos os dias uma família de cinco pessoas do apartamento 102 esbanjando água, lavando carro e aguando jardins. No final do mês o aposentado, que pouco gastou, terá que dividir a conta de água com a família. Teria, pois em Brasília, o projeto está praticamente aprovado pela Câmara. Aliás, está aí uma boa iniciativa que deveria servir de exemplo para todo o Brasil. A campanha é essa: hidrômetro individual em todos os prédios de todas as cidades brasileiras.