Silvestre Gorgulho

Silvestre Gorgulho

"Na praça de Hiroshima, onde caiu a bomba Atômica, foi construído um Parque onde tremula a bandeira branca da Paz"

Geraldo Gentil Vieira

Silvestre Gorgulho

Geraldo Gentil Vieira mudou a geografia brasileira. Junto com três outros companheiros da Codevasf (Companhia de Desenvolvimento do Vale do rio São Francisco) o agrimensor Leonaldo Silva de Carvalho, o eng. agrônomo Miguel Farinasso, o eng. civil Paulo Afonso Silva e a geógrafo Rosemey José Carlos, Gentil Vieira simplesmente descobriu que o rio São Francisco não nasce na Serra da Canastra.

Depois de percorrer toda extensão do Velho Chico na expedição Américo Vespúcio e de usar os mais modernos equipamentos de medição (GPS geodésico, fotos de satélite, mapa planialtimétrico e levantamento batimétrico) Geraldo Gentil chegou à seguinte conclusão: a belíssima cachoeira Casca D´Anta, considerada historicamente nascente do São Francisco, pela exuberância roubou a verdadeira nascente geográfica que fica no Planalto do Araxá, na Serra das Águas, no município de Medeiros-MG, onde nasce o rio Samburá.

Na verdade, até hoje o Samburá foi considerado afluente do São Francisco. Mas é o contrário: por todos levantamentos feitos pela equipe coordenada por Geraldo Gentil é o braço do São Francisco que nasce na serra da Canastra, que é afluente do rio Samburá. Explicando melhor: partindo da confluência do São Francisco com o rio Samburá, o São Francisco tem 98,12km e o Samburá tem 147,30km. E mais: na confluência o rio Samburá tem três vezes mais volume d´água que o rio São Francisco. Quem vai resolver esta polêmica?

Será justamente o IBGE que já foi devidamente oficializado. Aliás, é bom lembrar, não é a primeira vez que isso acontece: o pico da Bandeira, na serra do Caparaó, também já foi considerado o ponto culminante do Brasil. E hoje esse título pertence ao Pico da Neblina, lá na Amazônia.