Silvestre Gorgulho

Silvestre Gorgulho

"Na praça de Hiroshima, onde caiu a bomba Atômica, foi construído um Parque onde tremula a bandeira branca da Paz"

Hamilton Casara

Silvestre Gorgulho

Novo presidente do Ibama quer tolerância zero para crimes ambientais

O novo presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis - Ibama, o engenheiro agrônomo Hamilton Casara, 41 anos, nasceu e viveu na floresta. Justamente por isso vira bicho quando o assunto é preservação ambiental. Profundo conhecedor da realidade brasileira, sobretudo na Amazônia, Casara aceitou o desafio do Ministro José Sarney Filho para dirigir o Ibama. Ganhou notoriedade por denunciar a entrada em massa de madeireiras asiáticas na floresta amazônica brasileira e por combater a ambição predadora dos madeireiros. Seu primeiro desafio, costuma dizer, será promover parcerias com a sociedade civil organizada, estados e municípios visando desenvolver ações voltadas para a educação ambiental.

Para o novo presidente do Ibama, é de fundamental importância a elaboração de uma agenda de trabalho que "nasça nas pontas" e que permita à direção do Instituto lançar mão de todos os meios para fortalecimento de suas unidades em todo o Brasil. Para ele, esta é uma "regra simples, mas muito importante do ponto de vista dos resultados".

As metas de Hamilton Casara envolvem o combate ferrenho aos desmatamentos e queimadas, combate pesado ao tráfico de animais silvestres, à exploração irregular de madeira e à melhoria do controle institucional do órgão. Daí a importância da descentralização das ações e autonomia das representações estaduais.O objetivo é dar mais agilidade ao Ibama. Desde que assumiu a presidência do Ibama, Casara vem destacando a ação "tolerância zero" para os infratores e para o crime ambiental, fortalecendo os mecanismos de defesa para reservas indígenas, reservas extrativistas, parques nacionais e demais áreas de proteção ambiental.