Silvestre Gorgulho

Silvestre Gorgulho

"Na praça de Hiroshima, onde caiu a bomba Atômica, foi construído um Parque onde tremula a bandeira branca da Paz"

Suzzane Maia

Silvestre Gorgulho

Por um Brasil sustentável

Duas coisas prendem Suzzane B. Maia definitivamente ao Brasil. E é ela mesma que explica: "Primeiro, gosto da gente, da cultura e da vida brasileira. Gosto tanto da gente brasileira que acabei me casando com um brasileiro e me tornando um deles; segundo, meu país - os EUA - precisam menos de meu trabalho do que o Brasil". Formada em Relações Internacionais, com especialização em energia, Suzzane veio pela primeira vez ao Brasil em 1982. Foi um amor a primeira vista. Em 1998 conseguiu vir definitivamente para ser consultora do Ministério das Minas e Energia, no Programa de Desenvolvimento Energético de Estados e Municípios. Quanto mais visitou, trabalhou e conheceu o Brasil, mais essa paixão aumentou. Hoje ela fala de Amazônia, Boca do Acre, Nordeste, interior do Mato Grosso com conhecimento de causa e deixando escapar em cada sílaba o calor desta paixão:

A Amazônia clama por um desenvolvimento sustentável e a região tem 3 grandes vocações: a cultura farmacêutica, o turismo e o manejo de florestas;

Energia tem que ser fator de desenvolvimento, mas não basta uma ação isolada. Levar isoladamente energia para um município pobre significa iluminar pobreza. Há que ter uma ação integrada, inclusive de comprometimento com as lideranças locais.

Assim é Suzzane, hoje mais brasileira do que norte-americana. E Suzzane acaba de entrar num novo desafio: ela é presidente da Brasus, uma ONG lançada dia 11 de dezembro em Brasília, sem fins lucrativos, com objetivo de promover o desenvolvimento sustentável, prioritariamente nas regiões mais carentes do país.

Segundo Suzzane Maia, a filosofia central da Brasus é o compromisso com a excelência na execução dos projetos de desenvolvimento sustentável integrados. Apesar de se tratar de uma organização sem objetivos de lucro, pretende operar com a eficiência das empresas privadas de sucesso.

A estratégia da Brasus será estabelecida por um conselho imparcial, desvinculado dos fundadores e composto por pessoas com notória qualificação nas diversas dimensões da sustentabilidade, destacando-se a energia limpa, recursos hídricos, uso do solo, manejo agrícola e florestal, desenvolvimento tecnológico, suporte financeiro e parcerias com o setor privado.