Silvestre Gorgulho

Silvestre Gorgulho

"Na praça de Hiroshima, onde caiu a bomba Atômica, foi construído um Parque onde tremula a bandeira branca da Paz"

A Prece

A imagem de São Francisco bem na nascente do Velho Chico

Primeira ponte sobre o Rio São Francisco no Chapadão da Zagaia, na Serra da Canastra

 

A PRECE

 

FRANCISCO: UM E OUTRO

Silvestre Gorgulho (Março de 1995)

São Francisco é Santo nos Céus e na Terra. Nos Céus, faz milagres com a força de Deus. Na terra, faz milagres com a força do homem.

Para que o São Francisco, da Terra, faça milagres com a força do homem, é preciso que ele tenha uma vida também pura e saudável.
O São Francisco, da Terra, recebeu esse nome porque foi descoberto no dia 4 de outubro de 1501.
Nesse mesmo dia, em 1226, era sepultado em Assis, Itália, 
o São Francisco, dos Céus.

Magnânimo como seu xará dos Céus, o São Francisco, da Terra, diariamente faz seus milagres:
Multiplica pães e peixes, nos projetos de irrigação e piscicultura;
Dá de beber a 15 milhões de pessoas que habitam os 503 municípios de sua bacia hidrográfica;
Produz 10.356 MW de força energética, que ilumina caminhos e movimenta máquinas;
e sobre suas águas, transporta riquezas e pobrezas, esperanças e ilusões.

O São Francisco, da Terra, não pode parar de fazer seus milagres.
Precisa continuar abençoando gentes e energizando entes.
Precisa continuar multiplicando o pão e o peixe.
Mas, para isso, ele precisa viver.
Precisa ser imortal aqui na Terra, como o é o seu xará lá nos Céus
Urge que o homem, com sua força e inteligência, aplique a ele o grande ensinamento de São Francisco de Assis: É dando que se recebe.
Que o homem continue dando ao São Francisco, da Terra, o mínimo, para que dele possa continuar recebendo o máximo. Amém!

Alguns dados sobre o Rio São Francisco

Extensão do curso do Rio: 2.700 Km – equivalente à distância rodoviária entre Brasília (DF) e Chuí (RS).
Nascente: Serra da Canastra, município de São Roque de Minas (MG).
Foz: Oceano Atlântico, entre os Estados de Sergipe e Alagoas.
Vazão média anual: 2.980m³/s. (um pouco superior a do Rio Nilo, no Egito).
Área do Vale do São Francisco: 640.000 km² - equivale a soma dos territórios de França e Portugal, ou a soma dos territórios de Alagoas, Minas Gerais e Sergipe.
Abrangência: Seis Estados e Distrito Federal – quase 8% do Brasil.
Percentual da área do Vale por Regiões: 62,5% no Nordeste (Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas); 36,8% no Sudeste (Minas Gerais); 0,7% no Centro-Oeste (Goiás e DF).
Distribuição da População do Vale: Nordeste (36,3%) e Região Metropolitana de Belo Horizonte (26,5%) concentram mais de 60% da população do Vale.
Municípios no Vale: 503, sendo 92 localizados parcialmente.
Área dos 503 municípios: 709.771 km².
População do Vale: 15,5 milhões de habitantes.
Vegetação: 8% Floresta, 33,9% Cerrado, 21,2% Caatinga, 11,1% áreas de transição e 24,8% de áreas antrópicas (7% agricultura, 16,6% pastagens, 0,9% reflorestamento, 0,3% usos diversos). As áreas de preservação protegem 1,0% da área do Vale.
Espécies de peixes identificadas na Bacia do São Francisco: 139
Área do espelho d’água do curso principal e afluentes: 600.000 há (estimativa).
Potencial energético: Total – 26.435MW. Instalado – 10.356MW (17% do país). Remanescente – 16.079MW
Potencial mineral: 100% das reservas nacionais medidas de agalmatolito e cádmio; cerca de 95% das reservas nacionais medidas de ardósia, diamante e serpentino industrial; cerca de 75% das reservas nacionais medidas de enxofre e zinco; 65% das reservas nacionais medidas de chumbo; Bom potencial (entre 20 e 50% das reservas nacionais medidas) de cristal, gema, quartzo, ouro, granito, ferro, calcário, mármore e urânio.
Disponibilidade hídrica: O São Francisco responde por 69% da disponibilidade de águas superficiais do Nordeste.

silvestre@gorgulho.com