Silvestre Gorgulho

Silvestre Gorgulho

"Na praça de Hiroshima, onde caiu a bomba Atômica, foi construído um Parque onde tremula a bandeira branca da Paz"

Cultura, meio ambiente e a felicidade

 

Silvestre Gorgulho  (2/novembro/2006)

 

Meio ambiente é algo tão amplo e tão abrangente que dentro dele cabe tudo. Até a busca pela felicidade. Não há como ser feliz, num ambiente degradado, triste e caótico. Há tempos, fiz um projeto junto ao Ministério da Cultura para buscar, pela Lei Rouanet, algum suporte de incentivo para um empreendimento ambiental. Em vão. O projeto não foi aprovado sob a alegação de que meio ambiente não é cultura e sim educação. Não concordo.

Que me perdoem os burocratas, mas meio ambiente e cultura são conceitos indissociáveis. De nada vale investir em um, sem se considerar o outro. Abordo esse tema, a propósito da inauguração, agora dia 4 de dezembro, do Geopark do Araripe. Um parênteses: buscando uniformizar a nomenclatura, a Unesco universalizou o grafia Geopark com k. Existem apenas 37 geoparques no mundo e o Geopark do Araripe é o primeiro das Américas. Mas o que é um Geopark? É um novo conceito da Unesco para áreas protegidas, portadoras de pontos de interesse geológico, paleontológico e de importância científica e cultural. Está muito próximo ao conceito de paisagem cultural. Valorizar uma paisagem cultural significa valorizar o meio natural ao qual o ser humano imprimiu marcas de suas ações e formas de expressão.

É resultado de uma soma de todas as expressões resultantes da interação do homem com a natureza. E vice-versa. A Lei da Ação Civil Pública do Ministério Público considera e protege a paisagem cultural como bem difuso, equiparando-a ao meio ambiente, ao consumidor, à ordem econômica, à livre concorrência ou ao patrimônio artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico. No conhecimento e na defesa deste fantástico patrimônio deve haver, também, uma postura de ética e solidariedade, pois ao conceito ambiental de diversidade biológica corresponde o conceito de pluralidade cultural.

A ética e a solidariedade estão, justamente, na convivência e no compartilhamento de oportunidades entre o ser humano e todos os outros seres vivos. Todos os recursos da natureza estão à disposição do ser humano, mas há uma postura - no mínimo racional - de somente se apropriar daqueles que sejam indiscutivelmente indispensáveis à sobrevivência. E mais: o ser humano depende não apenas desses recursos, mas também do conhecimento que a humanidade acumulou sobre seus usos. Daí a importância de se lutar pela preservação conjunta dos recursos naturais, pela proteção da memória e de todas as manifestações que formam o patrimônio cultural de um povo. São as paisagens, os saberes e folclores, criados e recriados através do tempo, que formam heranças e acervos de valor inatingível. É por força da ética e da solidariedade que a crise ambiental planetária está extremamente ligada à crise cultural. Mas por que a Chapada do Araripe foi incluída na rede de Geoparks da Unesco?

A etnóloga Olga Paiva, chefe do Iphan em Fortaleza – ela é prima do nosso B. de Paiva - explica: primeiro porque nas entranhas do Araripe estão os mistérios e segredos da vida na Terra. Segundo, porque nesta área de 10 mil km2 estão mais de 20 ordens diferentes de insetos fossilizados, com idade entre 70 e 120 milhões de anos, e um terço de todos os répteis alados (pterossauros) descritos no planeta. Amigo leitor, isto prova que as terras brasileiras são verdadeiramente sagradas. A exuberância da floresta amazônica ainda resiste a 506 anos de exploração e ocupação desordenada. O Brasil detém 12% da reserva mundial de água doce. E, agora, o mundo passou a admirar e estudar o maior depósito de fósseis do Planeta, justamente na bacia sedimentar do Araripe. Mas voltemos à questão inicial: o meio ambiente também pode gerar felicidade. Aqui vale lembrar a Prêmio Nobel, Pearl Buck, que bem resumiu tudo isso. Muita gente, diz a escritora, perde a oportunidade de ser feliz porque fica aguardando a grande felicidade e desperdiça as pequenas alegrias. Preservar o patrimônio cultural é preservar o meio ambiente. Mais: é dar oportunidades materiais a um povo e devolver-lhe a auto-estima. É fazê-lo feliz.

silvestre@gorgulho.com