Silvestre Gorgulho

Silvestre Gorgulho

"Na praça de Hiroshima, onde caiu a bomba Atômica, foi construído um Parque onde tremula a bandeira branca da Paz"

Antônio Carlos da Fontoura

Por Silvestre Gorgulho

Em cinema ele já vez de tudo. Em tevê, também. O professor Antônio Carlos da Fontoura ficou uma semana em Brasília, coordenando um curso de cinema promovido pela Funarte e pelo Polo de Cinema e Vídeo do DF, dentro do programa "Oficina de Roteiro". Antônio Carlos da Fontoura, que iniciou sua formação cinematográfica sob orientação do documentarista sueco Arne Sucksdorff, fez, em Brasília, o que mais gosta: dedicou-se à formação de profissionais de roteiro e direção, coordenando cursos livres e laboratórios de criação. As aulas terminaram na sexta-feira. Fontoura, que já fez filmes de curta-metragem (Heitor dos Prazeres, Ver Ouvir e Ouro Preto & Scliar), filmes de longa-metragem (Copacabana me Engana, A Rainha Diaba e Espelho da Carne) e produções para tevê (Ciranda-Cirandinha, Plantão de Polícia, as minisséries Chapadão do Bugre e Capitães de Areia) e durante três anos integrou a equipe de Você Decide, atualmente dirige a Escola de Televisão da Faculdade Estácio de Sá, no Rio, e prepara algumas produções independentes para cinema e tevê. Ainda este ano começa a filmar "Hospital Brasil" uma comédia que tem no elenco Jô Soares, Chico Anísio e Ton Cavalcante. Com a estada do professor Antônio Carlos da Fontoura na Capital, Brasília já não é mais a mesma, por isso não poderia voltar para o Rio sem antes dar o seu recado na Janela da Corte.

1 - O que mais lhe incomodou em Brasília.
A dependência do automóvel.

2 - O que mais lhe agradou em Brasília.
A magia do espaço, das formas, da luz e do próprio cerrado.

3 - Para você quem deveria ganhar o Oscar de todos os tempos:
diretor brasileiro : Glauber Rocha
diretor estrangeiro : Orson Welles
filme brasileiro : Dois: "Deus e o Diabo na Terra do Sol", de Glauber e "Vidas Secas".
filme estrangeiro : "A Marca da Maldade", de Welles e a "A Doce Vida", de Fellini.

4 - Quem fez sua cabeça?
Cineasta : Jean Luc Godard
Escritor : Patrícia Highsmith
Político : JK

5 - O seu filme "Copacabana Me Engana" é considerado um dos grandes momentos do Cinema Novo. Foi Odete Lara, então sua mulher, quem inspirou o filme?
Foi a vista de minha janela, na Rua Barata Ribeiro, em Copacabana, que me inspirou. Mas foi Odete quem o motivou.

6 - Você teve algum filme que não conseguiu terminar? Por que?
Teve sim, "A Cangaceira Eletrônica", que algum dia ainda vou filmar aqui em Brasília.

7 - Dá para viver de fazer filme no Brasil?
No meu caso, não vivo só de fazer de filme.

8 - Quem ficou rico com cinema no Brasil?
Luis Severiano Ribeiro.

9 - Onde está o melhor: no Cinema ou na Televisão.
São coisas diferentes. Cinema é o sonho, uma aventura mágica. Como dizia meu amigo Armando Costa, a televisão é um chiclete para os olhos.

10 - Dentro do panorama do cinema mundial, o cinema brasileiro tem alguma coisa a acrescentar em termos de linguagem, lançamento de nomes ou qualquer outra coisa?
A fome e a vontade de comer.

11 - Como você vê o atual momento do Cinema Brasileiro?
É agora ou nunca. A hora é essa.

12 - E a tevê brasileira?
Está na hora da tevê brasileira se repensar. A novela é um exemplo.

13 - O que é mais fácil: escrever roteiros, dirigir filmes ou programas de tevê, ter apenas idéia e trabalhar o produto final ou apenas dar aula?
Tudo isso ou é fácil ou é impossível.

14 - Existe censura politicamente correta?
Tem censura? Sou contra.

15 - Qual o melhor ângulo do Brasil?
O melhor eu não sei. Mas o pior é o ângulo do personalismo, do oportunismo e do desrespeito aos valores coletivos.

16 - Qual o pecado capital de Brasília?
Poder tanto e tão pouco.

Brasília, 08 de junho de 1997

silvestre@gorgulho.com