Silvestre Gorgulho

Silvestre Gorgulho

"Na praça de Hiroshima, onde caiu a bomba Atômica, foi construído um Parque onde tremula a bandeira branca da Paz"

Os orgânicos chegaram para ficar

Silvestre Gorgulho, de Brasília
Durante a 2ª Semana dos Alimentos Orgânicos, realizada em Brasília, foi assinada portaria conjunta dos Ministérios do Meio Ambiente, Agricultura e Combate à Fome no sentido de incentivar a produção e consumo dos produtos orgânicos. Após a cerimônia de abertura do encontro, houve uma mesa redonda sobre Consumo Sustentável e Alimentação Saudável. Participaram do debate Moacir Darolt (IDEC), a nutróloga Clara Brandão, o presidente do Sindicato dos Orgânicos do DF, Joe Valle, e Richard Charity, da Associação para o Desenvolvimento da Agropecuária Orgânica/Ceará. A verdade é que os produtos orgânicos deixaram de ser um simples modismo e estão entrando cada vez mais na dieta alimentar dos brasileiros.

O Brasil é o segundo maior produtor do mundo e o quinto em área plantada de produtos orgânicos. O setor já exporta cerca de 400 milhões de dólares/ano, e devido às regras das certificadoras, é responsável por grande crescimento de geração de empregos com carteira assinada.

O mercado de consumo cresce acima de 40% ao ano, segundo dados da Associação de Supermercados. “Acho que temos muito o que comemorar com a agricultura orgânica - explica Joe Valle, presidente do Sindicato dos Produtores Orgânicos do Distrito Federal e Coordenador do Movimento Mundo Orgânico. Segundo Joe Valle, que também é produtor, esse é o tipo do negócio ambientalmente correto, economicamente viável e socialmente justo”. E acrescenta Joe Valle: “Nossa luta é por um consumidor consciente de alimentos saudáveis e informações confiáveis”.


Marina Silva e o ministro Patrus Ananias prestigiaram a abertura da Semana dos Orgânicos

Orgânicos em Brasília

Brasília é símbolo de modernidade na arquitetura e urbanismo. Os brasilienses também se orgulham do respeito à faixa de pedestre, uma lição de cidadania para todo o país. A Capital da República foi além ao inovar em outra direção: Brasília é a primeira cidade brasileira a instalar no Ceasa um mercado de produtos voltados para a alimentação orgânica. É o Supermercado Cooperativo Orgânico.

Vale registrar outros dois fatos inéditos: o DF conta com o primeiro Sindicato dos Produtores de Orgânicos do Brasil - o Sindiorgânicos/DF, que já tem centenas de produtores rurais filiados - e também produz o primeiro programa brasileiro via Internet, “O Mundo Orgânico”, totalmente dedicado a esse tipo de agricultura orgânica. (Conferir: www.painelbrasil.tv )

Há 20 Brasília faz uma agricultura orgânica. Mas só nos últimos seis anos, com a implementação de programas específicos e com o surgimento de parcerias e de entidades que organizaram o setor, é que esse segmento se desenvolveu

Hoje o DF produz cerca de 50 toneladas de produtos certificados com um crescimento acima de 40%/ano. “Esses empresários já vivem disso” - explica Joe Valle e acrescenta. “O último censo organizado pelo Sebrae e pela Federação da Agricultura e Pecuária do DF identificou que mais de dois mil produtores pretendem entrar na agricultura orgânica”.

Diferencial

Uma pesquisa importante foi feita pela Emater-DF, em parceria com a PUC-Brasília, e identificou que as pessoas que consomem alimentos orgânicos têm boa escolaridade, praticam esportes, têm mais de 40 anos e estão dispostas a pagar até um pouco mais pelo produto. A pesquisa mostra uma realidade no comportamente brasiliense que se repete em outras capitais do País: o grau de conscientização desses consumidores. Todos tem consciência que o alimento orgânico é livre de agrotóxico.

Outros pontos importantes revelados pela pesquisa: entre os principais consumidores, estão as mães, preocupadas com a melhor qualidade da alimentação dos filhos; também os atletas que buscam a manutenção do vigor físico; e os idosos, pela busca de uma melhor qualidade de vida.

silvestre@gorgulho.com