Silvestre Gorgulho

Silvestre Gorgulho

"Na praça de Hiroshima, onde caiu a bomba Atômica, foi construído um Parque onde tremula a bandeira branca da Paz"

PELÉ E OSCAR NIEMEYER

 

 Pelé e Oscar Niemeyer: a tabelinha cultural

 

 

 

Na apresentação do projeto do Monumento à imprensa, no escritório de Oscar Niemeyer. Na foto, Jair Valera, Silvestre Gorgulho, Pelé, Oscar e o prefeito de Santos, João Paulo Papa.

 

 

NIEMEYER E PELÉ

 

Silvestre Gorgulho       (Brasília, 5 de novembro/2010)

 

Dois brasileiros mergulharão na História e sobreviverão aos milênios.

Um, por seu gol de placa: concebeu mais de 300 projetos arquitetônicos em 70 cidades de 20 estados brasileiros, além de outros 150 projetos construídos em 55 cidades de 27 países, em quatro continentes. Destaques: 20 igrejas projetadas e 12 construídas; o prédio da ONU, em Nova York; e uma cidade inteira: Brasília.

 

O outro, por sua obra respeitável e inatingível: Campeão do Mundo em 1958, 1962 e 1970, bicampeão mundial de clubes pelo Santos, 10 vezes campeão paulista, 6 vezes campeão brasileiro e nada menos do que 1.283 gols feitos em 67 países dos cinco continentes. Destaques: o milésimo gol, no Maracanã, em 1969, com o alerta profético sobre o triste abandono das crianças deste País; e a trégua de duas guerras para que ele pudesse jogar.

 

Oscar Niemeyer e Pelé são as duas lendas brasileiras mais respeitadas e admiradas no mundo inteiro. Duas personalidades que não carecem nem de apresentação e muito menos de cartão de visita.

 

E, agora, a nossa geração teve a oportunidade ímpar de presenciar um encontro de trabalho entre estas duas, digamos assim, entidades, dia 4 de novembro de 2010, às 15h30, no escritório de Oscar, na Avenida Atlântica, no Rio de Janeiro. Uma tabelinha histórica da arte de cada um deles.

 

Só mesmo a cultura para conseguir esta troca de passes. Em nome da cultura, a única atividade humana com capacidade de unir nações e pessoas, os dois gênios se encontraram. Oscar Niemeyer, que faz 103 anos em 15 de dezembro, e Pelé, que completou 70 anos. Ambos entram em campo para eternizar um novo espaço cultural, em Santos-SP.

 

MUSEU PELÉ

A Prefeitura de Santos planeja inaugurar, em 2012, o Museu Pelé. Oscar Niemeyer participa deste sonho projetando um grande Monumento que ficará na praça principal, como que anunciando o museu aos turistas e visitantes.

O Museu Pelé vai ser erguido no Centro Histórico de Santos – Largo Marquês de Monte Alegre, em frente à antiga Estação Ferroviária. O custo total estimado da obra é de R$ 20 milhões. Já foram fechados patrocínios para mais da metade da iniciativa, financiada via lei de incentivos fiscais. O imóvel, que corresponde aos antigos Casarões do Valongo, foi cedido ao município pelo governo do Estado. O projeto arquitetônico prevê a reconstituição da fachada original, do século 19, e a criação de um moderno edifício.

O monumento projetado por Oscar Niemeyer é muito sugestivo. Pode ser visto de longe, até pelos navios que se aproximam do porto. Demarca, com imponência, o território.

O visitante sobe por uma rampa que contorna uma bola, passa por uma torre de 20 metros de altura, com a figura do Rei no topo, com sua marca característica ao comemorar um gol: um soco no ar.

Dentro da bola, um pequeno espaço para contar histórias e proezas do Atleta do Século.

Fora da bola, um grande espaço para admirar o céu, o mar e o maior porto exportador das riquezas nacionais. Um espaço para celebrar este País que produziu tantos talentos e tantos gênios.

Alguns reconhecidos como Oscar Niemeyer e Pelé. Outros nem tão conhecidos assim, mas que também ajudaram a plantar e a colher o melhor de nosso orgulho e de nossa brasilidade.

 

silvestre@gorgulho.com