Silvestre Gorgulho

Silvestre Gorgulho

"Na praça de Hiroshima, onde caiu a bomba Atômica, foi construído um Parque onde tremula a bandeira branca da Paz"

EMBAIXADA VERDE

 20 de Julho de 2011

Silvestre Gorgulho

 MOMENtO ITÁLIA-BRASIL 2011

O arquiteto italiano Pier Luigi Nervi estaria muito orgulhoso do atual embaixador da Itália no Brasil, Gherardo La Francesca. Não é para menos. Nervi, que em 1974 projetou o prédio da Embaixada da Itália em Brasília (inaugurado em 1977), fez questão de incorporar ao seu projeto uma forte mensagem ambiental. O que Nervi não podia imaginar é que 34 anos mais tarde, sua embaixada seria ambientalmente mais completa ainda! Além da leveza de uma arquitetura tropical, do espelho-d´água para amainar a aridez do clima, da fantástica utilização da luz natural e das criativas colunas quadricúspides em forma de troncos de árvores para lembrar a Amazônia, a Embaixada de Nervi iria agregar outro desafio de sustentabilidade: a produção de sua própria energia elétrica.

Síntese da criatividade

Para o Embaixador Gherardo La Francesca "Brasília é síntese da criatividade e de uma energia extraordinária do povo brasileiro. Esta mesma energia envolve plenamente a todos que vivem e trabalham na Embaixada da Itália, pela originalidade do projeto de Pier Luigi Nervi e por este esforço de sustentabilidade em fazer a primeira Embaixada Verde". E La Francesca lembra uma coincidência: ele nasceu em Roma, fundada no mesmo dia da inauguração de Brasília, 21 de abril. "Ainda que com 20 séculos de diferença".

A obra de Nervi é como um igarapé amazônico onde ramificam troncos de árvores, lagos, luz e sombras para formar uma floresta de encantamento urbano.

 

 

Com a mesma determinação e criatividade que levou Pier Luigi Nervi a conceber um prédio extremamente belo e ligado à natureza, o embaixador Gherardo La Francesca também fez questão de fazer da Embaixada da Itália a primeira sede diplomática no Brasil (talvez no mundo) a utilizar energias renováveis em seu abastecimento energético.  

 

"Nossa embaixada busca autosuficiência através da energia solar", explica o Embaixador. Assim, foram instalados 405 painéis fotovoltaicos na cobertura de 4 mil metros quadrados do prédio, que geram 86MWh e evitam a emissão de 7,6 toneladas de CO2/ano na atmosfera. "E tem mais - acrescenta Gherardo - a planta solar está conectada à rede elétrica da cidade, podendo repassar a energia excedente não consumida para a Companhia Energética de Brasília".

 

Tudo começou em 2010, quando o Embaixador Gherardo La Francesca requisitou um estudo técnico para implantação de energia solar. "Mas isto tudo só foi possível - lembra o Embaixador La Francesca - porque fizemos uma parceria com o Grupo Enel Green Power, com a ANEEL [Agência Nacional de Energia Elétrica] e a CEB [Companhia Energética de Brasília]".

"A verdade é que este é um projeto-piloto inovador para o mercado brasileiro: está em fase de elaboração um novo quadro de normas que sirva de referência para a ligação das plantas solares de uso residencial, aos gestores das redes elétricas, em paralelo com o que é realizado na Itália", salienta o Embaixador.

 Livro Verde do Século 21

Recentemente foi anunciado pelo Conselho Euro-Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (EUBRA) que o projeto Embaixada Verde será inserido no Livro Verde do Século 21. O livro reúne as 100 melhores práticas dos últimos dez anos para o desenvolvimento das energias renováveis no mundo. A obra foi lançada durante a exposição internacional Rio Global Green Bussiness. Integra o projeto, a utilização de um carro elétrico. Numa parceria entre a FIAT e a Itaipu Binacional, foi desenvolvido um carro movido à eletricidade com a energia produzida pelos painéis solares. O modelo é um Palio Weekend.

 

"Integra o projeto, a utilização de um carro elétrico. Numa parceria entre a FIAT e Itaipu, foi desenvolvido um carro elétrico que usa energia produzida pelos painéis solares".

 

 

"A planta solar da Embaixada está conectada à rede elétrica de Brasília, podendo repassar a energia excedente não consumida para a Companhia Energética".

 

 

O embaixador Gherardo La Francesca justifica o investimento na energia solar para abastecer sua Embaixada: "Além do respeito ao meio ambiente, queremos contribuir para o debate sobre energias renováveis no Brasil". Na foto abaixo, o embaixador e a embaixatriz Antonella com o arquiteto maior Oscar Niemeyer (Foto: Silvestre Gorgulho)

 

 

 

 

 

 

 

 Quem é Pier Luigi Nervi

Um dos mais celebrados arquitetos do mundo, Píer Luigi Nervi (*1891+1979) além de projetar a Embaixada da Itália, em Brasília, foi autor de obras consagradas como o Palácio da Unesco, em Paris, o Palácio do Esporte, em Roma, a Sala Vaticana, denominada Sala Nervi, onde o Papa concede suas audiência semanais ao público, e o complexo "Itália 61", em Turim.

A obra da Embaixada da Itália começou em 1974 para ser inaugurada em 1977. O prédio (na Av. das Nações, quadra 807 Sul) é mais do que uma sede diplomática. É um espaço onde reina a Cultura e o Meio Ambiente. Não foi por acaso que a obra de Nervi foi o único prédio de Embaixada escolhido pelo artista plástico Carlos Bracher para a coleção de 66 quadros que pintou sobre Brasília no ano de 2007/2008. O edifício da Embaixada é como um igarapé amazônico onde ramificam troncos de árvores, lagos, luz e sombras para formar uma floresta de encantamento urbano.

 

 

 

Parcerias ambientais