Silvestre Gorgulho

Silvestre Gorgulho

"Na praça de Hiroshima, onde caiu a bomba Atômica, foi construído um Parque onde tremula a bandeira branca da Paz"

BERÊ BAHIA

 

 

 

BERÊ BAHIA

De Jacobina, na Bahia, até Brasília, onde mora, Berê Bahia percorreu um caminho de estudos, muito trabalho e dedicação à Sétima Arte. Berê começou no Ministério da Educação e Cultura, passou pela Embrafilme e nunca deixou de pesquisar tudo sobre o cinema brasileiro. Suas pesquisas envolvem produções, diretores e produtoress. Cineclubista, programadora e cineasta, sua obra é fundamental  para a compreensão da arte cinematográfica brasileira. Berê Bahia promoveu a melhor mostra e o mais profundo estudo do Cinema em Brasília,  a cidade que nasceu filmada e fotografada.

OBRA: "O Olhar da Igreja" - filmes premiados com a Margarida de Prata / CNBB - 1967/2004. "100 Anos de Cinema" - 1895/1995. "O Olhar Poético de Jussara Queiróz". "De Falar da Dor" - Eduardo Conde. "Um Mestre Contagiante" - Rogério Costa Rodrigues. "30 Anos de Cinema e Festival de Brasília do Cinema Brasileiro". "Luz, Câmera, Mesa e Ação" - O Cinema Brasileiro na Cozinha.

 

 BERÊ BAHIA, EM POESIA

Silvestre Gorgulho

Maravilha, Bê Bahia!
Você é minha alegria.
Do Cinema e da Memória
Você é a nossa glória!
Brasília sem a Berê
Não tem graça nem porquê...

"Trinta Anos de Cinema",
Histórias de um Festival...
Berê pesquisou bem o tema
Fez de sua arte um poema
Em homenagem à Capital.

Incansável, essa Berê.
Não quis parar por aí.
Se juntou com a UnB
Praticou bem as lições
catalogou produções
Todas filmadas aquí.

É "Brasília no Cinema"
Em quatro décadas de arte.
Berê continua em cena,
Com raça fez sua parte...
Nossa cidade agradece,
Pois a gente nunca esquece:
Da Bahia? Não, Berê! De Marte!

silvestre@gorgulho.com


Caro Silvestre: Confesso que fiquei envaidecida e que dei boas gargalhadas. Pra começar, não sabia que és poeta. Se um dia publicar as "minhas vãs memórias", estes versos constarão da  minha trôpega trajetória, com crédito, claro... Espero revê-lo na mostra UnB e no FestBrasília.
Abração, Berê Bahia