Silvestre Gorgulho

Silvestre Gorgulho

"Na praça de Hiroshima, onde caiu a bomba Atômica, foi construído um Parque onde tremula a bandeira branca da Paz"

MUSEU INTERNACIONAL DA ÁGUA

 
O MUSEU DA ÁGUA EM BRASÍLIA

 

  Silvestre Gorgulho, 01/09/2003
 É aquela velha história: ninguém nasce predador de nascentes e ninguém nasce, também, destruidor de nascentes. Uma e outra atitudes a vida vai construindo na formação de cada indivíduo. Para que a formação seja para o bem e não para o mal, há que haver educação, motivação e conscientização da importância da preservação do meio ambiente. Daí que Brasília resolveu criar mais uma importante ferramenta para valorizar os recursos hídricos: o Museu Internacional das Águas - Mina. Sendo o Brasil o coração do planeta água e sendo a capital brasileira, no Planalto Central, o coração das três maiores bacias hidrográficas do continente americano - a bacia Amazônica, a bacia do rio da Prata e a bacia do rio São Francisco - na formação do caprichoso fenômeno hidrogeológico de Águas Emendadas, nada mais natural que o museu fosse em Brasília. E a obra já saiu da etapa dos sonhos para entrar na realidade. O arquiteto Oscar Niemeyer desenhou o projeto, o presidente da Caesb, Fernando Leite, tomou a frente institucional e burocrática do empreendimento e fez uma corrente de adesões que provocou as primeiras realizações: o governador Joaquim Roriz assinou solenemente no Palácio do Buriti o livro de criação do museu, foi criada a Organização Águas Emendadas, uma Oscip para gerenciar o projeto, foi formado o Conselho Consultivo e o Conselho Fiscal e as primeiras ordens para implantação do Mina foram dadas no dia 12 de setembro. Agora é só esperar brotar água desta mina.


O arquiteto maior, Oscar Niemeyer, desenhou o projeto básico e agora está,
com sua equipe, fazendo todos os detalhamentos necessários para a implantação definitiva da obra. O GDF atendeu pedido de Fernando Leite e o Museu Internacional das Águas ficará sediado no Parque da Cidade.

O empreendimento
O Mina tem vários objetivos, segundo Fernando Leite, e o principal é o de incorporar o termo água como tema principal a ser explorado em todo um universo de possibilidades que sua significação possa permitir. "Imagina-se uma instituição sociopedagógica e histórico-cultural, agregado a um núcleo de produção científica associada à água", explica Fernando Leite e acrescenta: "O Mina será uma referência e não estará reduzido a uma escala geográfica de dimensão regional. O tema tem significado grandioso e transcende divisas continentais".

Estrutura
O Mina será estruturado em dois grandes núcleos. O primeiro voltado para a realidade do homem, será o Núcleo de Interação Humana, que constituirá de um pavilhão onde terá todas as principais mostras e atividades de multimídia. O objetivo é fazer uma comunicação de massa com o público visitante. O segundo núcleo denominado "Universidade da Agua". Neste núcleo estarão todas as atividades de coleta e organização do conhecimento voltado para a temática dos recursos hídricos. Será um núcleo que vai disseminar os estudos sobre o tema, utilizando biblioteca, programações de curso técnico e de extensão acadêmica.

Núcleo de Interação Humana
Esse núcleo terá como elemento principal uma exposição fixa,
apresentando quatro temas no seu espaço:

A água e a civilização - Essa é a maior mostra e a mais importante, pois busca mostrar a ligação do homem com a água e a importância dos recursos hídricos na sua cultura, saúde, conforto, laser e sobretudo na estruturação e desenvolvimento das grandes cidades.

A água e a produção de riqueza - Mostra o significado da água na produção de bens

A água e o futuro sustentável - Mostra as pesquisas relacionadas a água e as tecnologias existentes no aproveitamento dos recursos hídricos

Mundo da água - O tema salienta a água nas belezas naturais existentes na Terra e a constituição da diversidade de fauna e flora.

O MINA será uma fonte fantástica de estudos e discussões

Antônio Luís Harada (*)
Quando foi configurada a proposta do Mina, buscou-se fugir daquele conceito tradicional de museu, sempre representado por um lugar frio e distante, depósito de um acervo de preciosidades, peças antigas e elementos estáticos. Diferente disso, as exposições do Mina deverão ser experiências vivas, cheias de movimento, que aguçarão a curiosidade dos visitantes.

Visitar o museu será participar de um espetáculo, assistir a uma aula e matar várias curiosidades. Os visitantes do Mina vão entender, por meio de imagens e ambientações, a importância da água na formação da cultura do homem e das bases de sua civilização. Poderão ainda ver a água como o sangue que mantém vivas nossas cidades, cria riquezas e energia, transmitindo conceitos importantes de cidadania. Aspectos de meio ambiente, com a apresentação de ecossistemas aquáticos e todo o ciclo vital dependente da água, terão importância fundamental nessa abordagem, dando ao museu um papel de ponta na disseminação de conceitos de preservação ambiental.

Para tanto, diversos recursos deverão ser utilizados, desde bonecos artesanais, maquetes e cenários até alta tecnologia na produção de imagens e animações digitais. Tudo isso embalado por técnicas de sonorização que deverão tornar mais tocantes as experiências vividas nas exposições do museu.

Para os técnicos ligados à área de recursos hídricos, o Mina mostra-se como uma forma de aproximar conceitos científicos da população. Será uma nova linguagem que aproximará esses dois mundos, auxiliado pelos poderosos instrumentos das artes. Estas estarão presentes nas músicas utilizadas para ambientar as exposições e também nos recursos estéticos utilizados nos cenários, painéis e projeções.

Completando esse panorama, o Museu Internacional das Águas vai dispor de um teatro com recursos tanto para utilização em palestras e encontros técnico/científicos como para peças e performances cênicas.
A intenção é fazer do Mina uma fonte fantástica, criativa e lúdica de discussões científicas, de difusão de conhecimento e de estudos sobre o recurso natural mais estratégico e essencial do planeta Terra: a água.
(*) Antônio Luís Harada é membro das comissões de Conteúdo e Obras do Mina

Ata de aprovação do estatuto e constituição do
Conselho Deliberativo e Fiscal da Oscip "Águas Emendadas"
A primeira diretoria e os conselhos eleitos, com mandato de 1º de outubro de 2003
a 1º de outubro de 2006, ficaram assim constituídos:

PRESIDENTE - Jerson Kelman

Conselheiros:
Aldo Rebouças
Cláudio J. Pinheiro Vilar de Queiróz
José Mário Abdo
Washington Novaes
Samuel Roiphe Barrêto
Newton de Castro
Pedro Henrique Lopes Bório
Newton Azevedo
Lúcia Martins Flecha de Lima
Walder Suriani
SUPLENTES:
Francisco Palhares
Renato Castelo
Lauro Mohry
Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas
Ênio Dutra Fernandes da Silva
Oscar Cordeiro Neto
Jorge dos Reis Pinheiro
CONSELHO FISCAL
Fausto de Marcos Rabelo Filho
Janary Alves de Moraes
Alexandre Augusto Moreira Santos
David José de Matos

DIRETORIA do MINA:
Presidente - Fernando Ferreira Leite
Diretores: Giordano J.Oliveira Aguiar (Técnico) e Dilson Joaquim de Morais (Administrativo)

 

Brazilian International Water Museum
Brasília will have a well to irrigate the Brazilian conscience about the value of water

It is the same old story: no one is born a predator of the water source nor is anyone a born destroyer of water sources. Both attitudes are developed during the formative years of each individual. To assure that the formative years culminate in good attitudes and not bad, there needs to be education, motivation and awareness of the importance of environmental conservation. This is the reason why Brasilia has decided to create one more important tool in building appreciation for water resources. The International Water Museum - MINA. Since Brazil is the heart of Planet Water and Brasilia, in the heartland of the country, the heart of the three largest water basins on the American continent - the Amazon Basin the River Plate basin and the São Francisco River basin - which form the capricious hydro geological phenomenon, know as the Águas Emendadas, it is only natural that the Museum be located in Brasília. This work has finally emerged from the dream stage and will embark upon becoming reality. The architect Oscar Niemeyer has developed and designed the project and the CAESB president Fernando Leite, spearheaded the drive on an institutional and bureaucratic front and started a chain of supporters which enabled the first undertakings to shoot up: the Federal District Governor, Joaquim Roriz, solemnly signed at the Buriti Palace, the papers creating the museum, entitled the ?Organização de Águas Emendadas" (Águas Emendadas Organization). In order to manage the project the Consultative and Inspection Counsel was formed and the first orders for the implementation of MINA were issued on September 12. Now we only have to wait for water to spring forth from this well.

The MINA project has a number of objectives according to Fernando Leite and the main one is to include the term water as the main theme to be exploited within the realm of possibilities afforded by its meaning. "Imagine a sociological and educational, historic and cultural institution, coupled with a center for scientific production associated to water," explained Fernando Leite adding: "MINA will be a used as a reference and will not be reduced to one geographic scale of a regional dimension. The theme has a grandiose appeal and transcends continental divisions." MINA will be structured in two centers. The first will be dedicated to the reality of man and will be called the Human Interaction Center, which will comprise a pavilion where there will be all of the major multimedia demonstrations and activities. The objective is to promote mass communications among the visiting public. The second center will be entitled "The Water University." All the activities involving the collection and organization of knowledge pertaining to the water resources theme will be conducted in this center. There will be a center for publishing studies concerning the subject, a library, technical studies programs and educational extension courses.

The Human Interaction Center will concentrate efforts on a permanent exposition, presenting four themes within this space: Water and civilization, which is the largest exhibition since it will endeavor to show the link between man and water and the importance of water resources in our culture, health and comfort as well as leisure and above all in the structure and development of large cities. The water and production of wealth will show the importance of water in the production of goods. Water and a sustainable future will display research related to water and existing technologies in how to best use the water resources. The World of Water, will emphasize water in the Earth's natural beauty and its role in the diversity of the fauna and flora.

silvestre@FolhadoMeio.com.br