Artigos

Frente a frente viúva e assassino de Chico Mendes

Em 22 de dezembro de 1988 Chico Mendes foi assassinado. Doze anos depois, o Fantástico faz encontro de Ilzamar Mendes e Darcy Alves

 


Silvestre Gorgulho



Estou sempre pensando comigo: a questão ambiental envolve respeito à natureza. Mas como levar esse comportamento, essa idéia aos homens, se esses, infelizmente, não conseguem respeitar nem mesmo seus próprios semelhantes? A violência cresce e virou lugar comum. Está ao alcance das mãos de crianças e velhos. Na avenida mais movimentada e na rua mais deserta. Por causas banais, por interesses de Estado, por inveja, por ganância e por miséria o homem ataca, ofende e mata. Depois do crime, na grande maioria das vezes, vem o arrependimento. Tardio, é claro. Acompanho com o maior interesse e, todas as vezes que vejo, aplaudo quem criou o quadro “A Hora da Verdade” que o programa Fantástico, da TV Globo, exibe aos domingos, quando coloca frente a frente o assassino e a pessoa mais ligada à vítima. Às vezes, a própria vítima. Esse, para mim, é um momento grave. É quando a alma e a consciência humana são desnudadas e o homem oferece, sempre com dor e lágrimas, para o Bem e para o Mal, um fato real para se meditar. Com o perdão ou não. Mesmo, porque, perdão não tem muito a ver com o tamanho do crime, mas – como poderia dizer – com o tamanho da capacidade de sublimar um sofrimento por mais profundo que seja. Por isso esse, também, é um momento solene. Diria, mesmo, de oração. Não há como ficar indiferente. Expressões e diálogos são fortes e ficam gravados na retina… Para essa edição tínhamos uma entrevista com o pai de Darci, o fazendeiro Darli Alves. Ambos estão presos em Brasília pelo assassinato de Chico Mendes. Não sei quantos leitores viram o quadro do Fantástico que colocou frente a frente Ilzamar, viúva de Chico Mendes, e o assassino confesso, Darci. Mesmo para quem viu, garanto que, pela dureza do momento, pela força dos olhares, pela estocada que representou cada sílaba, vale a pena ver (ou ler) de novo. O importante é tirar desse momento as muitas lições que ele encerra.


O encontro


O mediador do encontro de Ilzamar, viúva de Chico Mendes, com Darci é o Coordenador da Pastoral Carcerária de Brasília, Manoel Franquelino.


Que Deus abençoe esse encontro de vocês. Que procurem abrir o coração, porque é uma oportunidade que, creio eu, foi por Deus providenciada. Em nome do Pai, do Filho e do Espirito Santo.


Darci – Sempre pretendi ter esse encontro. Agora diante da senhora Ilzamar eu quero expressar meus sentimentos. Apesar da circunstância, venho pedir à senhora perdão por tudo que ocorreu.


Ilzamar – Primeiro eu gostaria de saber o que levou vocês a tomarem essa decisão de tirar a vida do meu marido. Do pai dos meus filhos, de um pai de família, que só fazia o bem e que nunca prejudicou ninguém.


Darci – Senhora Ilzamar, isso ai, a senhora está tocando numa coisa passada e eu não gostaria de tocar muito nesse passado, porque é muito triste.


Ilzamar – Pois eu vim aqui para falar do passado e do presente. Eu vim aqui para dizer a você da dor, do sofrimento que vocês causaram a nós. Não só da família dele não, nem dos filhos até hoje sofrem muito com a falta que ele nos faz. Quero falar também da dor de milhares de trabalhadores. Porque você deve lembrar bem do Chico Mendes. Uma pessoa que defendia os trabalhadores. Uma pessoa que só fazia o bem. Que defendia a floresta, que é a vida de todos nós. Foi por isso que vocês tiraram a vida dele. Nós estamos sofrendo muito. Não é fácil. Vocês tiraram de nós uma pessoa muito querida. Nós sobrevivíamos através dessa pessoa. Quando vocês tiraram a vida dele, vocês tiraram a nossa também. Não foi fácil. Para nós não se passaram 12 anos. Para nós foi ontem, porque a dor ainda é muito grande dentro de nós. Não é fácil viver sem uma pessoa que só nos fazia o bem. Por que vocês, até hoje, não disseram quem está por trás de tudo isso?


Darci – É isso que a senhora deveria procurar saber….


Ilzamar – Foram vocês que participaram. A família de vocês que participou. São vocês que sabem quem está por trás de tudo isso. Foi você que tirou a vida dele.


Darci – A senhora não sabe, a senhora não tem certeza….


Ilzamar – Foi você! Você assumiu isso no processo. Você assumiu que foi você que tirou a vida dele. Você que disparou aquela arma que tirou a vida dele. Você tinha que estar aqui hoje para dizer o que te levou a fazer isso. Ele nunca fez mal a vocês, nunca mexeu com vocês. Muito pelo contrário. Ele só fazia o bem. Agora, por que vocês fizeram isso? Porque vocês queriam trocar a vida dos seringueiros por boi. Porque vocês queriam acabar com toda a floresta para plantar capim. E eu vou dizer uma coisa para você. A dor e a saudade é muito grande. Eu estou aqui em nome de todas as famílias, porque não foi só a vida do Chico que vocês tiraram não. Onde vocês passaram vocês deixaram rastro de sangue. Principalmente em Xapuri. E em nome dos meus filhos, de todos os trabalhadores, de todos os amigos do Chico, daquelas pessoas que junto com a família sentem saudades e sentem falta dele até hoje, não perdoaremos vocês. De maneira alguma. Nós não queremos um herói morto. Para nós, a vida dele é que era importante. E vocês, sem mais nem menos, tiraram a vida dele. E isso até hoje dói muito. A gente até hoje sofre muito. Meus filhos até hoje sofrem muito. Não tem um dia que eles passem sem falar no pai. Por isso nós não perdoaremos.


Darci – Pois, dona Ilzamar. Eu estou fazendo isso aqui não é para me promover, para me vangloriar. Eu poderia não estar aqui falando com a senhora….. Mas eu vim porque hoje eu tenho outra mente, hoje eu estou falando por mim só. Só de mim e Deus. Não vim aqui para me justificar ou falar de razão. O que passou, passou. Agora se a senhora não aceitar… cabe à senhora não aceitar… a senhora fala que a senhora perdeu, mas será que só a senhora perdeu? A senhora sabe quantos morreram?


Ilzamar – Você pode enganar outras pessoas. Cada crime que vocês cometeram, vocês se apresentavam e diziam que estavam arrependidos em nome de Deus. No entanto, cometiam novamente…


Darci – Pois é, se a senhora tem só isso para falar. Falar que não me perdoa, tudo bem. Deus é justo. Deus sabe tudo. Eu realmente não sou esse monstro que a senhora está dizendo. Não sou esse bicho todo, não. Porque aqui eu não estou falando em nome da minha família. Não estou defendendo nem A nem B. Estou falando eu. Minha pessoa. Se hoje eu estou aqui é porque Deus tirou tudo aquilo que tinha no meu coração. Eu não falo para nenhuma pessoa, nem para a senhora, nem para mim o que eu enfrento de pressão, não é fácil. Mas eu faço tudo para quebrar essa muralha, porque eu faço tudo para não ter inimizade. Quero quebrar essa inimizade para que minha família possa ter paz. Para que minha família venha viver outro caminho.


Ilzamar – É por isso que você vem hoje a mim falar que você está arrependido? Porque sua vida está aí, sua família está aí, você está vivendo com ela. De uma certa formar você está vivendo com a sua família. Não é o nosso caso. Porque nós não temos mais o nosso ente querido, porque vocês tiraram a vida dele. É fácil dizer que você está arrependido quando você tem a sua vida. Quando você está com a sua família. Nós não temos mais o pai dos meus filhos…


Darci – Se a senhora quiser fazer perguntas para mim naquilo que tiver possibilidade de eu responder eu vou responder….


Ilzamar – Eu já fiz. O que levou você a tirar a vida do Chico? Quem são as pessoas que estão por trás de tudo isso? Vocês nunca disseram. Você não me respondeu nenhuma dessas perguntas.


Darci – Eu falei que não estou em condições de responder isso…


Ilzamar – Então eu não perdoarei nunca. Nem eu, nem meus filhos. Nem aquelas pessoas que perderam e que sentem a falta dele até hoje.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos

Inovação verde

Sustentabilidade e a sigla ESG tem dominado grande parte da pauta de encontros empresariais

Published

on

 

O conceito da sustentabilidade e a sigla ESG tem dominado grande parte da pauta de encontros empresariais, seminários e congressos de negócios. O discurso garante não ser apenas mais um modismo, como tantos outros no passado, e sim um conceito que teria vindo para ficar, até porque não teríamos escolha, se quisermos salvar o planeta. Além disso, as gerações Y e Z estão mais atentas ao assunto e cobrando maior responsabilidade ambiental, social e de governança das empresas.  O mercado financeiro e as certificadoras também observam esse novo momento para oferecer vantagens e reconhecer as companhias que demonstrarem maior comprometimento com a sustentabilidade.

Nessa pauta, um dos principais desafios é desenvolver tecnologias que sejam sustentáveis, tanto economicamente viáveis quanto atraentes para o mercado.  Hitendra Patel, diretora do IXL Center da Hult International Business School, e que no Brasil é parceiro da Revista Amanhã em um ranking de inovação, criou o termo “greenovations” para essas soluções, e destaca a necessidade da viabilidade financeira para o assunto ganhar relevância entre as empresas. Boas ideias e tecnologias não são suficientes para criar produtos e serviços ambientalmente sustentáveis. É preciso torná-los lucrativos e atrativos, criando um círculo virtuoso.

As empresas precisam transformar essa pauta em cultura para que ela permeie os novos modelos de negócios. Os setores público e privado devem trabalhar juntos para evitar excessos na legislação, buscar eficiência nos licenciamentos, equilíbrio e ponderação nas fiscalizações e oferecer estímulos à inovabilidade. É a melhor maneira de transformar o que muitas vezes ainda é visto como moda, ou como um fardo a carregar, em um compromisso espontâneo e duradouro.

 

Escrito por Carlos Rodolfo Schneider – empresário

 

 

Continue Reading

Artigos

Brasil, falta de Neymar e resultado das urnas

Published

on

Tô pensando o seguinte:
NEYMAR faz muita falta à Seleção Brasileira. Assim como o VAR faz falta na eleição no Brasil.
Quando o Juiz vai pro VAR ele busca transparência e retidão no lance.
É tudo que se quer no resultado das urnas.
Continue Reading

Artigos

Debênture Verde: Biotrop investe R$ 92,5 milhões em sustentabilidade no primeiro ano

Com o crescimento acelerado da demanda por produtos biológicos e naturais na agricultura, empresa amplia investimentos em P&D, estruturas, laboratórios e prepara o lançamento de novos produtos, contribuindo cada vez mais com a agricultura regenerativa

Published

on

 

A Biotrop, empresa dentre as líderes em soluções biológicas e naturais para o agronegócio, através da sua controlada – Total Biotecnologia S.A., acaba de ser certificada pelo Bureau Veritas pela destinação de mais de R$ 92,5 milhões de recursos para as iniciativas sustentáveis, oriundas das debêntures verdes captadas.

Do valor de R$ 100 milhões obtidos com o título, um montante superior a 92% foi destinado para investimentos em três importantes blocos: capital de giro para a fabricação e distribuição de bioinsumos; investimentos na planta, que inclui a expansão fabril, equipamentos para os laboratórios, veículos e tecnologia da informação; e para as atividades de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), incluindo inovação, para garantir novos produtos destinados à agricultura sustentável. O valor restante dos recursos da debênture será alocado para novas demandas.

De acordo com o diretor financeiro, Adriano Zan, impressiona o montante que a Biotrop destinou de recursos já no primeiro ano da debênture. “Após a emissão, a companhia tem o prazo de até cinco anos para destinar os 100% de recursos. A rapidez desse processo é a prova da célere adoção de biotecnologias pelos agricultores, sobretudo as soluções sustentáveis da Biotrop. Um passo importante para a empresa e para a agricultura brasileira”, diz.

Para o CEO da empresa, Antonio Carlos Zem, esse relatório comprova o comprometimento e respeito da Biotrop com o mercado e principalmente a transparência com os investidores. “Utilizamos as debêntures verdes, entregamos indicadores financeiros melhores que os requeridos e usamos os recursos de modo sustentável para expandir a agricultura biológica. Pretendemos obter centenas de milhões em financiamentos verdes para 2023, dado o crescimento acelerado, o que pode ser uma ótima oportunidade para nossos credores”, diz.

Zem ressalta ainda as expectativas para o futuro. “Os agricultores no Brasil e na América Latina podem esperar o lançamento de novos produtos e maior capacidade de atender aos clientes. A Biotrop está liderando o mercado com uma robusta plataforma de inovação em várias dimensões dos biológicos. Ao associar P&D de ponta, acesso de mercado superior e equipe preparada e focada exclusivamente em biológicos, conseguimos crescer de forma exponencial, rentável, sustentável, com direção estratégica e através de pessoas extraordinárias!”, finaliza o executivo.

Sobre o título captado

Debêntures verdes são aquelas cujos recursos são investidos tanto em projetos com benefícios ambientais quanto sociais. Esses títulos de renda fixa são emitidos por empresas que precisam financiar um projeto, pagar uma dívida ou aumentar o capital. Para isso, elas pagam uma remuneração em troca do financiamento. No caso da Biotrop, as debêntures foram emitidas conforme a abordagem da ICMA (International Capital Market Association) e das Nações Unidas. O Banco Itaú BBA foi o coordenador-líder da emissão.

Sobre – A Biotrop é uma empresa brasileira, fruto da visão e empreendedorismo de um seleto grupo de profissionais apaixonados pelo agronegócio. Atua com foco em pesquisa e desenvolvimento de soluções diferenciadas e inovadoras, com o objetivo de contribuir para uma agricultura mais sustentável, saudável e regenerativa. Com escritório em Vinhedo (SP) e fábrica em Curitiba (PR), a empresa leva ao mercado o que há de melhor no mundo em soluções biológicas e naturais. Acesse www.biotrop.com.br.

 

 

 

Continue Reading

Reportagens

SRTV Sul, Quadra 701, Bloco A, Sala 719
Edifício Centro Empresarial Brasília
Brasília/DF
rodrigogorgulho@hotmail.com
(61) 98442-1010