Reportagens

Pesquisa mostra que dióxido de carbono pode reduzir a incidência do bicho mineiro no cafeeiro

Parcelas experimentais mostrando detalhes dos anéis com a instrumentação de injeção de dióxido de carbono ao ar livre e de uma estação meteorológica no centro da parcela

 

Estudo desenvolvido pela Embrapa Meio Ambiente indica que o aumento da emissão de dióxido de carbono (CO2) reduz a incidência do bicho mineiro, uma das piores pragas do cafeeiro no Brasil, capaz de causar perdas de até 50% na cultura. A conclusão é resultado de um experimento do tipo FACE – Free Air Carbon-dioxide Enrichment (saiba mais em quadro nesta matéria), que vem sendo muito utilizado pela pesquisa científica para obtenção de respostas em agroecossistemas naturais intactos. O trabalho, realizado entre os anos de 2011 a 2015, mostrou também impactos positivos na altura das plantas, número de folhas e diâmetro do caule, mas nenhum efeito na incidência da ferrugem, outra doença muito nociva a essa cultura no País.

Os experimentos do tipo FACE permitem a emissão de dióxido de carbono a céu aberto para avaliar os efeitos do gás nas plantas de interesse agropecuário. O FACE Climapest, idealizado pela então pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente Raquel Ghini, com base nesse modelo, foi o primeiro da América Latina e o único no mundo a estudar a cultura do café nesse ambiente. Além disso, foi também pioneiro na priorização do estudo de problemas fitossanitários.

Para a pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente Katia Nechet, as mudanças climáticas representam uma ameaça às plantas, mas poucos estudos consideram o seu efeito sobre doenças e pragas de plantas, especialmente em biomas tropicais com culturas perenes. Entretanto, são informações cruciais para apontar estratégias de manejo das culturas no futuro, especialmente em relação ao clima, uma vez que as emissões cumulativas de dióxido de carbono determinarão em grande parte o aquecimento global no final do século XXI, com projeção de aumento em torno de 1,5°C na temperatura do planeta, de acordo com o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC).

“O FACE Climapest proporcionou conhecer o efeito desse aumento no café e em suas principais doenças e pragas, em estudos conduzidos a céu aberto, em condições mais realistas, para entender o efeito do aumento de dióxido de carbono na incidência de pragas e doenças. Experimentos assim requerem estudos que podem levar mais de três anos para plantas perenes, como o café”, explica o também pesquisador da Embrapa Meio Ambiente Wagner Bettiol.

O Brasil, maior produtor de café do mundo, foi responsável por 33,6% da produção mundial na safra 2021/2022. A ferrugem do cafeeiro e o bicho mineiro podem levar a perdas que variam de 30% a 50% e de 30% a 70%, respectivamente. O estudo da relação entre as variáveis ​​climáticas e a produção agrícola é essencial, não só para identificar a vulnerabilidade dos sistemas de produção, mas também para propor estratégias de adaptação, visando garantir a oferta de alimentos nas mais diversas condições ambientais.

A agregação de valor aos frutos da juçara ajuda a proteger a espécie, nativa da Mata Atlântica, que já esteve ameaçada de extinção.

Crescimento das plantas

Ao longo dos três anos de avaliação, o diâmetro dos cafeeiros cultivados sob dióxido de carbono elevado foi de 3% a 12% maior do que os submetidos ao carbono-ambiente em todas as avaliações. O número de folhas apresentou variação ao longo do período, uma vez que foi influenciado por fatores externos, além do dióxido de carbono, como, por exemplo, colheita manual e incidência de pragas. “Mesmo assim, das 17 avaliações realizadas, 10 apresentaram maior número de folhas”, explica Regiane Iost, que durante seu mestrado e doutorado na Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), participou da condução do experimento.

A incidência da ferrugem do cafeeiro nos tratamentos com aumento de dióxido de carbono foi baixa e estatisticamente semelhante, nos anos de 2014 e 2015, em função das condições climáticas e da aplicação de fungicidas. Por outro lado, a incidência do bicho mineiro foi menor em plantas cultivadas sob o aumento de dióxido de carbono, o que mostrou a mesma tendência apresentada em resultados preliminares conduzidos no FACE Climapest entre 2011 e 2013.

“Sabe-se que a duração do ciclo total do bicho mineiro é fortemente influenciada pela temperatura. No experimento, a temperatura foi semelhante para os tratamentos com diferentes concentrações de dióxido de carbono, o que sugere que o aumento pode ser responsável pela menor ocorrência da doença”, explica Nechet.

 

O café e as mudanças climáticas no Brasil

O Departamento Econômico do Sistema Faesp – que engloba a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e sindicatos rurais – divulgou o boletim de “Acompanhamento da Safra Paulista 2022”, relativo a setembro, com a síntese do levantamento das safras brasileira e paulista de café no período. Os dados são da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Começando pelos destaques no estado de São Paulo, a terceira estimativa da Conab para a safra de café 2022 traz uma queda de 530,8 mil sacas, em relação ao último levantamento. A perspectiva é de que sejam colhidas 3,9 milhões de sacas de café arábica. A queda de 2,6%, na comparação com o volume colhido em 2021, demonstra a severidade dos impactos dos eventos climáticos adversos sobre as lavouras paulistas de café, visto que o ciclo anterior foi marcado pela bienalidade negativa, em que o rendimento das lavouras é geralmente bem menor.

Esta safra foi marcada por períodos críticos de escassez hídrica, em decorrência do fenômeno climático La Niña, e também por geadas em importantes regiões produtoras, ocasionando perdas no potencial produtivo das lavouras. Além disso, o longo período de estiagem ocorrido no estado de São Paulo em 2021, somado às altas temperaturas e aos episódios de geada em momentos importantes para o desenvolvimento das lavouras, já apontava para a expectativa de que não se alcançaria o potencial produtivo característico deste ciclo.

Em termos de superfície plantada, a área total com café na safra atual foi mantida em comparação a 2021 (menos 0,22%) e está avaliada em 210 mil hectares. Desse total, 199,8 mil hectares são de área em produção (alta de 0,81%) e 10,25 mil hectares de área em formação (queda de 16,9%). O número total de cafeeiros é estimado em 746 milhões (incremento de 9,8%), sendo 709,4 milhões de pés em produção (alta de 11,5%) e 36,6 milhões de pés em formação (queda de 15,1%).

No que se refere ao panorama nacional, o terceiro levantamento da Conab para a safra 2022 reduziu em 3 milhões de sacas as estimativas para a produção brasileira de café (de 53,43 milhões de sacas para 50,38 milhões de sacas estimadas). Esse volume, embora represente um aumento de 5,6% em relação aos resultados da safra anterior, quando comparado a 2020, ano marcado pela bienalidade positiva assim como o atual, indica uma queda de 20,1% no volume total de café produzido. (Com informações da Faesp).

 

Foto: Adriano Veiga

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Reportagens

10 áreas em alta no Brasil e cargos com mais oportunidades de emprego

Levantamento do Infojobs mostra alta demanda nas áreas de tecnologia, gestão de pessoas e administração em todos os níveis

Published

on

 

São Paulo, fevereiro de 2023 – Os ambientes humanizados e mais conectados com ferramentas e plataformas digitais nas empresas brasileiras já estão refletindo nas demandas do mercado de trabalho. Seguindo os passos do ano anterior, 2023 começou aquecido para as áreas de tecnologia, administração e gestão de pessoas, de acordo com levantamento exclusivo do Infojobs, HR Tech que desenvolve soluções de tecnologia para o RH das empresas.

 

“Quem busca recolocação profissional ou mudar de emprego pode encontrar as vagas em diferentes regiões do país, em todos os níveis hierárquicos através desse levantamento. Como estamos no começo do ano, ainda pode servir como base para entender as principais tendências profissionais e, quem sabe, avaliar novas possibilidades de carreira”, comentou Ana Paula Prado, CEO do Infojobs.

 

Áreas em alta demanda em Janeiro de 2023

  • Comercial

 

Líder em 2022 em relação a ofertas de vagas, com 50.713 oportunidades, as tendências seguem em alta para a área comercial. É possível se candidatar para funções desde operacionais até cargos de gerência.

 

  • Tecnologia da Informação

 

O setor de tecnologia está em alta há alguns anos, mostrando que as companhias estão sedentas por contratar bons profissionais do segmento. Há oportunidades para todos os níveis hierárquicos, de estagiário a consultor.

 

  • Administração

 

Administradores são necessários em todas as empresas. No entanto, as vagas exigem cada vez mais habilidades específicas para atender as necessidades do mercado atual.  Há ofertas para todos os cargos, de operacionais a supervisão.

 

  • Logística

Com demandas cada vez mais dinâmicas e a tecnologia como ferramenta para as equipes, a área logística é essencial para o funcionamento pleno de algumas empresas. Podem ser encontradas vagas para diferentes níveis profissionais, de operacional a encarregado.

 

  • Gastronomia e Alimentos

Profissionais do setor de alimentos e gastronomia também encontram mais oportunidades, principalmente porque o segmento está em retomada pós-pandemia. Estão disponíveis vagas para todos os níveis, de operacional a coordenador.

 

  • Indústria

O setor responsável pelo processo fabril e desenvolvimento de diversos produtos, está entre as áreas com maior número de vagas abertas atualmente. As ofertas disponíveis são destinadas a todos os níveis.

 

  • Construção Civil

Também devido à retomada, a construção civil apresenta crescimento no número de oportunidades e as empresas estão em busca de profissionais já no início do ano. Além de especialistas, também estão sendo buscados operacionais, auxiliares, consultores e estagiários.

 

  • Finanças

A área financeira está entre os principais setores em destaque, com tendência de crescimento até o fim do ano. Estão disponíveis vagas para todos os níveis.

  • Serviços Gerais

Profissionais de serviços gerais podem encontrar vagas em diferentes regiões do país. Os níveis buscados são: operacional, auxiliar, assistente, supervisor e encarregado.

 

  • Recursos Humanos

Com a busca por aprimoramento e estruturação de equipes de RH ainda mais especializadas em gestão de pessoas e aptas a utilizarem as novas tecnologias para o setor, as empresas procuram por profissionais competentes para continuar o desenvolvimento do trabalho com sucesso. Estão disponíveis vagas para todos os níveis.

 

Sobre o Infojobs 

Com mais de 35 milhões de visitas ao mês e 45 milhões de cadastros, o Infojobs é uma HR Tech que desenvolve soluções de tecnologia para o RH das empresas. Além da plataforma de oportunidades profissionais e busca de talentos, o Infojobs oferece, há 18 anos, soluções integradas de recrutamento com ferramentas avançadas e completas para gerir os processos seletivos das empresas, e facilitam aos candidatos a vantagem de cadastrarem seus currículos de forma gratuita, contemplando profissionais de todos os perfis. Recentemente, a empresa atingiu o número de mais de 120 mil vagas publicadas, garantindo um alto número de oportunidades de emprego.

 

MAIS INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA

NR7 Full Cycle Agency

infojobs@nr7.ag

Renata Sanches

Noelle Neves

 

 

 

Continue Reading

Reportagens

Carnaval abre com System Safadown, Suvaco da Asa e Cafuçu do Cerrado

Depois de dois anos sem folia, o pré-Carnaval de Brasília começa nesta sexta-feira (3), com apresentações a partir das 18h

Published

on

 

Catarina Lima, da Agência Brasília I Edição: Débora Cronemberger

 

O Carnaval volta às ruas de Brasília depois de dois anos sem folia. Neste fim de semana, os blocos Suvaco da Asa, System Safadown e Cafuçu do Cerrado fazem o pré-Carnaval de Brasília. O System Safadown é quem vai abrir os festejos de Momo. O bloco se apresenta nesta sexta-feira (2), a partir das 18h, em um palco montado em frente ao Eixo Cultural Ibero-Americano (antiga Funarte), no Eixo Monumental.

O bloco System Safadown vai abrir o pré-Carnaval de Brasília nesta sexta-feira (3), a partir das 18h | Foto: Luian Valadão

Os foliões do bloco ouvirão muito rock dos anos 1970 e 1980. Esta será a terceira apresentação do System no Carnaval de Brasília. “Esse Carnaval significa a volta da cultura e esta trará a luz que estamos precisando”, avaliou Lucas Formiga, diretor dos blocos System Safadown e Cafuçu do Cerrado.

No sábado (3) pela manhã, será a vez do Suvaco da Asa se apresentar. O bloco desfilará com a banda Mundo Livre S/A, de Pernambuco, uma das fundadoras do Manguebeat. Pela manhã, a versão infantil do bloco, o Suvaquinho, sai às 9h30, também da frente do Eixo Cultural Ibero-Americano. Às 13h, será a vez do Suvaco adulto puxar os foliões.

O Suvaco da Asa, bloco criado há 18 anos, vai animar o sábado junto com a banda pernambucana Mundo Livre/SA | Foto: Nina Quintana

O bloco tem como referência o frevo, mas promete um carnaval multicultural, a exemplo da festa de Recife, na qual se inspira. “A nossa expectativa é a melhor possível. Estamos voltando depois de muita turbulência”, disse Pablo Feitosa, diretor do Suvaco da Asa. Fundado há 18 anos, o bloco desfilou em 16 carnavais desde a sua fundação. Só deixou de sair em 2021 e 2022 devido à pandemia de covid-19.

No domingo (5), será a vez da agremiação que se autointitula o “bloco mais deselegante da cidade”, o irreverente Cafuçu do Cerrado. Com o título A gente tá querendo vida boa!, em homenagem ao hit de outro expoente do manguebeat, a banda Eddie (PE), o Cafuçu começa seu baile no melhor estilo brega às 14h. No palco, revezamento de atrações: DJ Mica, DJs Bagasystem, Sereia Sem Pé e Orquestra Cafuçu. No encerramento, está previsto um grande show da banda Eddie, que convida a cantora pernambucana Karina Buhr.

Os três blocos são gratuitos e totalmente acessíveis a pessoas com deficiência. A estrutura dispõe de banheiros químicos (inclusive adaptados) e praça para compra de alimentos, bebidas e adereços carnavalescos. Os pré-carnavais oficiais do System Safadown, Suvaco da Asa e Cafuçu do Cerrado contam com patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC-DF).

Serviço

Blocos de Brasília celebram, no pré-carnaval, os 30 anos do movimento Manguebeat
Local: Eixo Cultural Ibero-Americano (antigo Complexo da Funarte), no Eixo Monumental
Quando: de sexta (3) a domingo (5)
Quanto: Grátis

Programação

Sexta-feira (3)
System Safadown – Da Lama ao Caos, a partir das 16h
→ DJ Formiga
→ DJ Telma e Selma
→ Mutante – Joana Duah canta Rita Lee. Convidada especial: Gaivota
→ Banda System Safadown. Convidados especiais: Daniela Firme, Gaivota e Rafael Cury.

Sábado (4)
Suvaco da Asa – É tempo de Festejar
→ Bloco infantil Suvaquinho, a partir das 9h30
→ Oficina Percussiva Vivendo e Batucando
→ Grupo Patubatê
→ Suvaco da Asa, a partir das 13h
→ DJ Laine D’Olinda
→ Bloco AVenCemos
→ Grupo cultural Batukenjé
→ Oficina Percussiva Vivendo e Batucando
→ Orquestra Marafreboi, a partir das 16h, com desfile do bloco pelo Eixo Monumental
→ Show da banda Mundo Livre S/A, às 18h
→ DJ La Ursa.

Domingo (5)
Cafuçu do Cerrado – A gente tá querendo vida boa!, a partir das 14h
→ DJ Mica
→ DJs Bagasystem
→ Sereia Sem Pé
→ Orquestra Cafuçu
→ Banda Eddie convida Karina Buhr (PE)

 

 

 

Continue Reading

Reportagens

Plenário da Câmara Legislativa faz minuto de silêncio por Glória Maria

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Published

on

 

O plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal respeitou um minuto de silêncio em memória da jornalista Glória Maria, falecida nesta quinta-feira (2). Durante a sessão ordinária, o deputado Chico Vigilante (PT) lembrou a trajetória da repórter, considerada um ícone da TV brasileira, que estava na Rede Globo desde 1971. “Não a conheci pessoalmente. Mas, ao receber a notícia de sua passagem, senti como se fosse alguém da família”, afirmou o parlamentar.

Vigilante destacou a importância de Glória Maria “por tudo o que ela representa para o jornalismo e para as mulheres pretas, bem como para o conjunto da população deste país. Por tudo o que ela foi”. A sugestão da homenagem foi acatada pelo presidente da Casa, deputado Wellington Luiz (MDB), que conduzia a sessão e afirmou: “Que Glória Maria possa descansar em paz”.

Marco Túlio Alencar – Agência CLDF

 

 

Continue Reading

Reportagens

SRTV Sul, Quadra 701, Bloco A, Sala 719
Edifício Centro Empresarial Brasília
Brasília/DF
rodrigogorgulho@hotmail.com
(61) 98442-1010