Reportagens

Fiéis em Taguatinga voltam a celebrar Pentecostes no Taguaparque

Terceiro maior evento da Igreja Católica retoma calendário de festividades em sua 23ª edição depois de dois anos suspenso pela pandemia da covid-19

 

Hédio Ferreira Júnior, da Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo

 

 

Centenas de milhares de pessoas passaram pelo Taguaparque, em Taguatinga, neste domingo (5), na celebração da terceira data mais importante do Ano Litúrgico cristão, junto com o Natal e a Páscoa: o Pentecostes. A missa da festa que simboliza o dia da descida do Espírito Santo sobre os 12 apóstolos de Cristo teve a presença do governador Ibaneis Rocha e da primeira-dama Mayara Noronha Rocha.

“Essa festa representa muito para a cidade e para a retomada das nossas festividades religiosas. Mas é preciso que as pessoas estejam atentas à vacinação para que possamos voltar em segurança e plenitude. Está provado que a vacina é a única forma de derrotar essa doença”Governador Ibaneis Rocha

Esta é a 23ª edição da celebração, suspensa por dois anos em decorrência da pandemia da covid-19. As medidas de prevenção adotadas pelo governo, a expansão da vacina e a queda do número de internações e óbitos no DF propiciaram a retomada da reunião de fiéis.

“Essa festa representa muito para a cidade e para a retomada das nossas festividades religiosas. Mas é preciso que as pessoas estejam atentas à vacinação para que possamos voltar em segurança e plenitude. Está provado que a vacina é a única forma de derrotar essa doença”, destacou Ibaneis Rocha.

Com a volta do público presencial desde a última edição, em 2019, a festa contou com reforço do Governo do Distrito Federal (GDF) tanto na logística de trânsito e transporte, quanto na segurança, com o emprego de 345 policiais militares.

Em maio, uma reunião com várias secretarias e autarquias públicas foi feita para alinhar estratégias de amparo ao evento. Participaram as polícias Civil e Militar, o Serviço de Limpeza Urbana (SLU), o Metrô, o Departamento de Trânsito (Detran), o Samu e a Secretaria do DF Legal, entre outros órgãos. “Essa ajuda do GDF não é só boa e importante. Ela é essencial para que tudo isso que você está vendo aqui aconteça”, declara César Torres, um dos organizadores.

Ao lado de outras autoridades políticas, como o secretário de Governo do Distrito Federal, José Humberto Pires, e o presidente da Câmara Legislativa, deputado Rafael Prudente, o governador Ibaneis Rocha assistiu a missa e a benção das velas, símbolos do alcance das graças pedidas ao Espírito Santo.

 

Fiéis de todas as idades marcaram presença no Taguaparque neste fim de semana

Foi o caso da cabeleireira Dorisvan Ferreira, 47 anos. Com um filho tratando sequelas da covid-19, ela esteve na missa de Pentecostes para ter a vela abençoada que irá acender pedindo a rápida recuperação dele. “Já tive muitos pedidos alcançados, inclusive um milagre salvando a vida do meu filho. Estar sem as celebrações nesses dois anos me fez muita falta”, diz ela.

Significado

De origem grega, o termo Pentecostes significa “cinquenta dias depois”. A data marca o final da festa Pascal e o dia em que os apóstolos receberam o Espírito Santo e deram início à divulgação dos ensinamentos de Jesus Cristo. Deu-se aí o surgimento da igreja na conversão das pessoas.

A noite fria no Taguaparque não intimidou a reunião de grupos de família e pessoas de todas as idades. Morador de Taguatinga, Demontiez Santos, 47 anos, improvisou uma pequena barraca de nylon para proteger a si e ao filho caçula, de 12 anos. “É um momento de muita fé e poder, muito forte. Estarmos vivos e com saúde aqui hoje, sobrevivendo a essa pandemia, em que perdemos tantas pessoas, já é uma dádiva”, acredita o católico devoto do Divino Espírito Santo.

 

 

 

Continue Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Reportagens

DF entra em alerta com onda de calor e população deve manter cuidados

Capital registra temperatura 5ºC acima da média prevista para o mês de setembro. Especialistas recomendam muita água, roupas leves e pouco exercício físico ao ar livre nos períodos críticos

Publicado

em

 

Victor Fuzeira, da Agência Brasília I Edição: Débora Cronemberger

 

O Distrito Federal está em alerta laranja de perigo para baixa umidade relativa do ar e para altas temperaturas. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a capital federal vive uma onda de calor e tem registrado nos últimos dias temperaturas 5ºC acima da média prevista para o mês de setembro. A maior máxima do ano foi registrada nessa terça-feira (19): 34,5°C, no Gama.

Meteorologistas alertam que a próxima semana será ainda mais quente; população deve adotar cuidados como manter uma boa hidratação e não praticar esportes entre 10h e 16h | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

O aviso emitido pelo Inmet teve início às 11h desta quarta-feira (20) e está previsto para durar, pelo menos, até o domingo (24). No entanto, os meteorologistas acreditam que a próxima semana será ainda mais quente. “Estamos observando a possibilidade de estender esse alerta para a semana que vem. A expectativa é que tenhamos uma próxima semana ainda mais quente, com temperaturas acima de 35ºC”, explica Cleber Souza, do Inmet.

O especialista explica que o país está sob o domínio do fenômeno El Niño, que altera significativamente a distribuição da temperatura da superfície do Oceano Pacífico. “A atuação desse fenômeno favorece esse episódio de temperaturas mais elevadas. Estamos sofrendo com uma massa de ar seca e quente, atuando como um bloqueio para a formação de nuvens e, consequentemente, de chuvas, e intensificando a incidência de radiação solar”, prossegue.

Em função do calor intenso e da baixa umidade, é preciso que a população se atenha aos cuidados recomendados pela Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil do Distrito Federal. “As orientações são as mesmas tanto para o calor quanto para baixa umidade: que as pessoas utilizem roupas leves e que façam refeições leves, sempre mantendo uma boa hidratação. Outra dica é umedecer com frequência a região dos olhos e das narinas”, enfatiza o tenente-coronel Ricardo Costa Ulhoa, coordenador de Planejamento, Monitoramento e Controle.

Ulhoa também afirma que não é recomendada a prática esportiva ao ar livre entre 10h e 16h. “Esse horário é característico das maiores temperaturas, por isso não é recomendado fazer exercícios no período. O ideal é sempre utilizar hidratantes, protetor solar e labial durante a prática esportiva e no próprio dia a dia”, completa.

A coordenadora de Atenção Primária à Saúde, Fabiana Fonseca, afirma que a população deve ficar atenta aos sinais de desidratação. “Alguns sintomas mais comuns são fraqueza, tontura, mal estar, aquela sensação de: ‘Não sei o que tenho, mas não estou bem’. Por isso, precisamos estar mais atentos; aumentar a ingestão de água, evitar exposição ao sol e redobrar cuidados com crianças, idosos e pessoas que têm doenças crônicas”.

 

 

Continue Lendo

Reportagens

Arrendatário leva multa de R$ 8,7 mil após derrubar 29 árvores nativas para plantar soja em fazenda em Santo Anastácio

Homem, de 40 anos, só tinha autorização para o corte de 10 exemplares.

Publicado

em

 

Um homem, de 40 anos, arrendatário de uma fazenda em Santo Anastácio (SP), recebeu nesta quarta-feira (20) uma multa de R$ 8,7 mil em decorrência da derrubada irregular de árvores nativas na propriedade rural.

Ele tinha autorização para cortar apenas 10 árvores, mas no local a Polícia Militar Ambiental constatou a derrubada de 29 exemplares.

Os policiais compareceram à fazenda para realizar uma fiscalização em área onde houve a supressão de árvores nativas através da emissão de Via Rápida Ambiental (VRA).

Através da comparação de imagens via satélite, foi identificado o corte de 29 árvores nativas isoladas das espécies canafístula, ipê e farinha-seca, ou seja, em desacordo com a autorização obtida, que continha apenas 10.

Segundo a polícia, o homem alegou que havia arrendado a área para o cultivo de soja e ainda admitiu que tinha feito a retirada de “algumas” árvores para realizar o plantio.

Ele recebeu um auto de infração ambiental no valor de R$ 8,7 mil por explorar qualquer tipo de vegetação nativa, mediante supressão isolada de 29 árvores, em área fora de reserva legal, de domínio privado.

 

 

 

Continue Lendo

Reportagens

Distritais divergem sobre análise do STF acerca da descriminalização do aborto

Foto: Renan Lisboa/ Agência CLDF

Publicado

em

 

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, colocou em pauta a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442, que vai analisar a descriminalização do aborto até 12 semanas de gravidez. A decisão repercutiu na sessão ordinária da Câmara Legislativa desta quarta-feira (20) e dividiu a opinião dos deputados distritais.

O deputado Thiago Manzoni (PL) foi o primeiro a abordar o tema e informou que esteve na semana passada numa manifestação contra o aborto e em defesa da vida em frente ao STF, organizada por um grupo católico. Manzoni se manifestou contra a descriminalização e, na tribuna, exibiu pequeno boneco de um feto de 12 semanas. O deputado argumentou que o feto está em formação, mas “já é um ser vivo e está em desenvolvimento”. Manzoni se disse “embasbacado” com as pessoas que defendem o direito ao abordo. “Canalhas, assassinos e covardes” foram algumas palavras usadas pelo deputado para descrever os defensores do aborto.

Na mesma linha, o deputado Pastor Daniel de Castro (PP) destacou ato no qual participou da Frente Parlamentar Evangélica da Câmara dos Deputados e falou contra o aborto. O deputado também exibiu bonecos de fetos e ainda um vídeo, em que o médico e deputado federal Fernando Máximo relata o desenvolvimento do feto com 12 semanas. “Estamos diante da possibilidade da legalização do homicídio, com os homens decidindo quem pode viver ou não”, completou o deputado.

O deputado Iolando (MDB) também ocupou a tribuna e se alinhou aos colegas que o antecederam contra a possível legalização do aborto.

“Quem morre de aborto são as mulheres negras e pobres”

O deputado Fábio Félix (Psol) explicou que a ADPF 442 é uma ação de integrantes do seu partido e que tem como objetivo discutir a política pública do direito reprodutivo no País. Na opinião do deputado, o debate sobre o aborto é sempre polêmico porque a maioria das pessoas não estuda devidamente o tema. “Quando você descriminaliza o aborto, você não estimula uma prática. Você abre o debate sobre essa prática. Quem morre de aborto são as mulheres pobres, negras e periféricas”, argumentou. Para ele, a descriminalização vai possibilitar o acesso a políticas públicas e ao atendimento psicossocial.

O deputado Gabriel Magno (PT) disse que a decisão do STF sobre o tema é de fundamental importância para o País. Para ele, o que está se discutindo é o entendimento sobre normativas já existentes no Brasil. “Discutir o aborto é discutir a vida de meninas e mulheres. Em 2020, 48 meninas entre 10 e 14 anos entraram em trabalho de parto por dia neste País. O debate tem que passar pela vida dessas meninas. A maioria negras e pobres. Se acontecesse com pessoas com melhor condição, não chegaria a este ponto. A morte por aborto inseguro é a quarta causa de morte materna no Brasil”, assinalou.

Para a deputada Paula Belmonte (Cidadania) o tema é importante e “passa sim pelo viés religioso, mas principalmente pela questão educacional”. Para ela, crianças estão fazendo aborto porque existe uma sexualização precoce no País. “Não existe feto, se não houver relação sexual. Mas temos que discutir o que está acontecendo com a sexualização das jovens e a permissividade de muitos pais. Defendemos a vida dentro do ventre, mas também precisamos defender as crianças que nasceram e estão passando fome”, analisou.

Belmonte citou o caso de crianças contaminadas pelo Rio Melchior e outras que estão morrendo de fome e que não merecem a mesma atenção dos deputados. “Este debate é muito mais profundo do que um debate feminista ou religioso. É um debate da dignidade humana”, finalizou.

Luís Cláudio Alves – Agência CLDF

 

 

Continue Lendo

Reportagens

SRTV Sul, Quadra 701, Bloco A, Sala 719
Edifício Centro Empresarial Brasília
Brasília/DF
rodrigogorgulho@hotmail.com
(61) 98442-1010