Artigos

UM ANJO CHAMADO DAD

OS 10 MANDAMENTOS DA PROFESSORA

 

Dad Squarisi era de elegância extrema. Tinha postura e estilo tanto no trato com as pessoas como requinte e refinamento nos seus textos.
Sua infância foi turbulenta. Nasceu em Beirute, em 1946, e seu pai participou da guerra da independência do Líbano. Derrotado, teve que se exilar.
Sua adolescência foi uma aventura. A famÍlia perambulou por pensões e hotéis da França, Espanha, Argentina, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.
Sua juventude foi um romance. Bonita, inteligente e assediada, DAD se casou em 1969, teve o filho, Marcelo e dois netos: João Marcelo e Rafael.
A maturidade, ahhhh! sua maturidade é outra história. Uma história da arte do bem ensinar e do bem escrever. Vale a pena conhecer.
PROFESSORA E JORNALISTA
Dad Squarisi chegou a Brasília em 1968. Seu sucesso foi construído em cima de um ensinamento que levou muito a sério desde cedo: se tem que fazer alguma coisa, faça-o bem-feito. De preferência sorrindo. Assim a vida sorrirá para você.
Professora, jornalista e escritora, formada pela UnB em Letras, ela era a própria delicadeza e a bem humorada profissional no trato com os leitores, alunos e colegas. Toda fama dessa libanesa naturalizada brasileira veio de onde ela menos esperava: da Língua Portuguesa.
Os 10 MANDAMENTOS da arte de bem escrever, segundo Dad Squarisi:
1 – Escrever é mandar recado – O convite para a festa de aniversário é um recado. Toda mensagem é um recado.
2 – Seja natural – Fique à vontade. Imagine que o leitor esteja à sua frente.
3 – Vá direto ao assunto – Não enrole: Comece pelo mais importante. E comece bem, com uma frase atraente.
4 – Use frases curtas – A pessoa só consegue dominar determinado número de palavras antes que os olhos peçam uma pausa. A frase muito longa dá trabalho, confunde.
5 – Prefira palavras breves e simples – Vocábulos longos e pomposos funcionam como cortina de fumaça entre você e o leitor. Seja simples.
6 – Ponha as sentenças na forma positiva – Diga o que é, não o que não é. Quer exemplos? Não ser honesto é ser desonesto; não lembrar é esquecer.
7 – Opte pela voz ativa – Ela é mais direta, vigorosa e concisa que a passiva (a passiva, como o nome diz, parece sem força, desmaiada).
8 – Abuse de substantivos e verbos – Escreva com a convicção de que no idioma só existem essas duas classes de palavras. As demais, sobretudo adjetivos e advérbios, devem ser usadas com a sovinice do Tio Patinhas.
9 – Seja conciso – Não diga nem mais nem menos do que você precisa dizer.
10 – Persiga a clareza – Dificultar a compreensão do texto é colocar uma pedra no caminho do leitor. Facilite-lhe a vida.
OBRIGADO, DAD, POR SUAS LIÇÕES E PELO SEU LEGADO.
Dois momentos com DAD SQUARISI
1) Almoço no Manara pelo seu aniversário em 30 de abril: José Carlos Vieira, Hélvia Paranaguá, Ana Claudia Veloso, Vera Martini, Denise Rothenbourg, DAD aniversariante, Marie Claude Yammine (dona do Manara) e Silvestre.
2) No lançamento do livro “Superdicas Ortográficas”: privilégio meu estar entre duas escritoras de excelência: Ana Miranda, Dad Squarisi.

Artigos

SANTA CRUZ DE TENERIFE: QUANTA BELEZA, ARTE E CIVILIDADE

(Parte 5)

Publicado

em

 

Deixando o navio para visitar a cidade, me chamou logo a atenção um desfile, em pedestais, das maiores personalidade que já visitaram Tenerife. Deve ter uns 80 totens com fotos e pequena descrição de cada um. Lá estão Charles Darwin, Churchill, escritores, reis e rainhas. (Uma boa ideia para fazer em duas cidades que amo: São Lourenço-MG e Brasilia)
Duas personalidades me fizeram lembrar da “Folha do Meio Ambiente”: Marianne North e Alexander Von Humboldt.
Marianne porque morou vários anos no Rio de Janeiro e abriu uma grande série que fizemos no jornal chamada “NATURALISTAS VIAJANTES”.
Von Humbolt, fundador da moderna geografia física e autor do conceito de meio ambiente geográfico, fez uma das mais belas metáforas que já li quando visitou o Brasil e viu uma vereda coberta de vagalumes:
“OS VAGALUMES FAZEM CRER QUE, DURANTE UMA NOITE NOS TRÓPICOS, A ABÓBODA CELESTE ABATEU-SE SOBRE OS PRADOS”.
TENERIFE, PAISAGEM E CULTURA
Não foi à toa que o jornal “The Garden” escolheu Tenerife um dos melhores lugares do mundo para se viver.
Também não foi à toa que chegar ontem, dia 22, no Porto de Tenerife, havia 5 grandes transatlânticos, inclusive o da National Geographic, com turistas do mundo inteiro. Tanto a cidade de Santa Cruz de Tenerife, como a ilha são um convite às compras e passeios.
# O arquipélago das CANÁRIAS são formadas por 7 ilhas. Tenerife e Las Palmas são as principais cidades. Amanhã visitaremos outra ilha e Las Palmas.
# Tenerife se destaca por sua arquitetura contemporânea e diversificada. O auditório de Tenerife é singular e chama logo a atenção.
# A Praça da Espanha é o coração da cidade com um lago, fonte, rodeada de monumentos e esculturas gigantes. Espetacular!
# A rua central é só para pedestres. Um desfile de gente, de lojas de grife e cafés. Um charme!
# E se pode visitar o Parque Nacional do Teide, Patrimônio da UNESCO, onde tem um vulcão ativo de paisagem alucinante. No caderno de notas de Cristóvão Colombo (1492) aparece uma referência ao Teide em erupção.
É a segunda vez que visito Tenerife. Prometi a mim mesmo que vou voltar.
Fotos
1) Mapa do arquipélago
2 e 3) Toten com Marianne North e Von Humboldt
4) “Desfile” dos totens
5) filme da chegada do navio Norwegian Star
6) A cidade de Tenerife vista do navio
7) o vulcão Teide
Continue Lendo

Artigos

CABO VERDE: A ILHA DE BOA VISTA E BRASÍLIA

(Parte 4)

Publicado

em

 

No dia 20, visitamos MINDELO, na Ilha São Vicente. Que grata surpresa!
Mindelo é conhecida em todas as ilhas de Cabo Verde como a BRASILIM, que no dialeto criolo significa BRASILINHA ou Pequeno Brasil.
Visitamos o Centro de Artes, Design e Artesanato, na Praça Nova, onde tem uma exposição temporária da artista Bela Duarte. Visitamos também o muro onde está a figura de outra cabo-verdiana ilustre: CESÁREA ÉVORA.
O povo cabo-verdiano é super simpático e hospitaleiro. Nosso guia, Danilo, nos disse uma frase que revela bem a força cultural e a beleza do casario de Mindelo, cidade da poetisa e cantora Cesárea Évora e da artista plástica Bela Duarte: “Praia é a capital, mas Mindelo é a principal!”
Na parte 4, vou falar sobre Cabo Verde e Brasília: uma circunstância histórica e trágica.
Continue Lendo

Artigos

MINDELO, A PRINCIPAL. CULTURA e CASARIO

(Parte 3)

Publicado

em

 

Hoje, 20, visitamos MINDELO, na Ilha São Vicente. Que grata surpresa!
Mindelo é conhecida em todas as ilhas de Cabo Verde como a BRASILIM, que no dialeto criolo significa BRASILINHA ou Pequeno Brasil.
Visitamos o Centro de Artes, Design e Artesanato, na Praça Nova, onde tem uma exposição temporária da artista Bela Duarte. Visitamos também o muro onde está a figura de outra cabo-verdiana ilustre: CESÁREA ÉVORA.
O povo cabo-verdiano é super simpático e hospitaleiro. Nosso guia, Danilo, nos disse uma frase que revela bem a força cultural e a beleza do casario de Mindelo, cidade da poetisa e cantora Cesárea Évora e da artista plástica Bela Duarte: “Praia é a capital, mas Mindelo é a principal!”
Na parte 4, vou falar sobre Cabo Verde e Brasília: uma circunstância histórica e trágica.
Continue Lendo

Reportagens

SRTV Sul, Quadra 701, Bloco A, Sala 719
Edifício Centro Empresarial Brasília
Brasília/DF
rodrigogorgulho@hotmail.com
(61) 98442-1010