Artigos

LIXO NOS OCEANOS

Como o plástico e outros descartes estão afetando a vida selvagem e o meio ambiente.

 

A National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) é enfática: mais de 80% da poluição no oceano são causadas por atividades humanas, como descarte inadequado de lixo e esgoto, uso de fertilizantes e produtos químicos, além de vazamentos de petróleo. A poluição do oceano é um problema crescente que ameaça a biodiversidade marinha, a economia global e a saúde humana.

 

O impacto da poluição dos oceanos na vida marinha é enorme, pois cerca de 90% das espécies de aves marinhas e tartarugas já consumiram plásticos.

 

O plástico é um dos materiais mais prejudiciais que são encontrados nos oceanos, levando centenas de anos para se decompor completamente. Segundo dados da ONU, a cada ano, cerca de 8 milhões de toneladas de plástico são descartadas nos oceanos, causando danos irreversíveis à vida marinha, aos ecossistemas e à saúde humana.

A presença de lixo nos oceanos afeta a vida marinha, prejudicando espécies como tartarugas marinhas, aves, mamíferos, peixes e corais, que podem ingerir o plástico ou ficar presos em redes e outros detritos, causando ferimentos graves ou até mesmo a morte. Além disso, a presença de lixo nas praias e nas águas afeta o turismo, uma das principais fontes de renda em muitas regiões costeiras.

 

Esta tartaruga-verde fêmea (chelonia mydas) foi encontrada em Sydney — a cerca de 287 km para a capital da Austrália, Camberra —, após ter ingerido uma linha de pesca e sete anzóis. Ela precisou passar por cirurgia de cinco horas para a retirada dos materiais. Veja abaixo os médicos fazendo raio-x da tartaruga para providenciar a retirada dos anzóis. (Facebook/Taronga Zoo Sydney)

 

A tartaruga-verde fêmea (chelonia mydas) teve o intestino danificados pelos anzóis.

 

Triste revelação feita pelos raios-x numa tartaruga marinha: sete anzóis são encontrados no animal. Ela precisou passar por cirurgia de cinco horas para a retirada dos materiais.

 

MICROPLÁSTICOS

Os microplásticos, fragmentos minúsculos de plástico que se formam pela quebra de objetos maiores, são outra ameaça aos oceanos. Eles são facilmente ingeridos por animais marinhos, entrando na cadeia alimentar e, consequentemente, podendo chegar até os seres humanos.

A poluição do oceano não é apenas um problema ambiental, mas também econômico. De acordo com estudos recentes, a poluição marinha pode custar até US$ 2,5 trilhões por ano em danos ambientais, perda de produtividade e custos de limpeza.

 

Para enfrentar esse problema global, governos, empresas e indivíduos devem trabalhar juntos para reduzir o lixo nos oceanos. Uma das principais soluções é a redução do uso de plásticos descartáveis, incentivando a reciclagem e o desenvolvimento de alternativas sustentáveis.

 

De acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), 17% das espécies afetadas por detritos plásticos estão listadas como ameaçadas ou quase ameaçadas de extinção. Isso inclui espécies como a tartaruga-de-pente e a foca-monge-do-havaí, que estão gravemente ameaçadas por conta da poluição marinha.

 

CONSCIENTIZAÇÃO E A EDUCAÇÃO

É importante que as empresas adotem políticas de produção e descarte responsáveis, além de investir em tecnologias mais limpas e sustentáveis. A conscientização e a educação da população sobre a importância da conservação dos oceanos também são fundamentais para mudar o comportamento humano e reduzir a poluição.

 

Praia do Rio de Janeiro após reveilon: educação e conscientização para combater a poluição dos oceanos é um desafio complexo, que envolve mudanças de comportamento e ações individuais, bem como políticas públicas e regulamentações governamentais.

 

Em resumo, a poluição do oceano é um problema grave e crescente que afeta a vida marinha, a economia global e a saúde humana. Precisamos agir agora para proteger nossos oceanos e garantir um futuro sustentável para todos.

A poluição dos oceanos é um problema crescente e preocupante em todo o mundo. O acúmulo de lixo e detritos nos oceanos está afetando não só a vida marinha, mas também a saúde humana. Cerca de 8 milhões de toneladas de plástico acabam nos oceanos a cada ano, e a situação só piora. A Organização das Nações Unidas (ONU) alerta que, se nada for feito, até 2050 pode haver mais plástico do que peixes nos oceanos.

 

A pesca e o turismo são indústrias importantes para muitos países costeiros e a poluição pode afetar negativamente esses setores.

Artigos

SANTA CRUZ DE TENERIFE: QUANTA BELEZA, ARTE E CIVILIDADE

(Parte 5)

Publicado

em

 

Deixando o navio para visitar a cidade, me chamou logo a atenção um desfile, em pedestais, das maiores personalidade que já visitaram Tenerife. Deve ter uns 80 totens com fotos e pequena descrição de cada um. Lá estão Charles Darwin, Churchill, escritores, reis e rainhas. (Uma boa ideia para fazer em duas cidades que amo: São Lourenço-MG e Brasilia)
Duas personalidades me fizeram lembrar da “Folha do Meio Ambiente”: Marianne North e Alexander Von Humboldt.
Marianne porque morou vários anos no Rio de Janeiro e abriu uma grande série que fizemos no jornal chamada “NATURALISTAS VIAJANTES”.
Von Humbolt, fundador da moderna geografia física e autor do conceito de meio ambiente geográfico, fez uma das mais belas metáforas que já li quando visitou o Brasil e viu uma vereda coberta de vagalumes:
“OS VAGALUMES FAZEM CRER QUE, DURANTE UMA NOITE NOS TRÓPICOS, A ABÓBODA CELESTE ABATEU-SE SOBRE OS PRADOS”.
TENERIFE, PAISAGEM E CULTURA
Não foi à toa que o jornal “The Garden” escolheu Tenerife um dos melhores lugares do mundo para se viver.
Também não foi à toa que chegar ontem, dia 22, no Porto de Tenerife, havia 5 grandes transatlânticos, inclusive o da National Geographic, com turistas do mundo inteiro. Tanto a cidade de Santa Cruz de Tenerife, como a ilha são um convite às compras e passeios.
# O arquipélago das CANÁRIAS são formadas por 7 ilhas. Tenerife e Las Palmas são as principais cidades. Amanhã visitaremos outra ilha e Las Palmas.
# Tenerife se destaca por sua arquitetura contemporânea e diversificada. O auditório de Tenerife é singular e chama logo a atenção.
# A Praça da Espanha é o coração da cidade com um lago, fonte, rodeada de monumentos e esculturas gigantes. Espetacular!
# A rua central é só para pedestres. Um desfile de gente, de lojas de grife e cafés. Um charme!
# E se pode visitar o Parque Nacional do Teide, Patrimônio da UNESCO, onde tem um vulcão ativo de paisagem alucinante. No caderno de notas de Cristóvão Colombo (1492) aparece uma referência ao Teide em erupção.
É a segunda vez que visito Tenerife. Prometi a mim mesmo que vou voltar.
Fotos
1) Mapa do arquipélago
2 e 3) Toten com Marianne North e Von Humboldt
4) “Desfile” dos totens
5) filme da chegada do navio Norwegian Star
6) A cidade de Tenerife vista do navio
7) o vulcão Teide
Continue Lendo

Artigos

CABO VERDE: A ILHA DE BOA VISTA E BRASÍLIA

(Parte 4)

Publicado

em

 

No dia 20, visitamos MINDELO, na Ilha São Vicente. Que grata surpresa!
Mindelo é conhecida em todas as ilhas de Cabo Verde como a BRASILIM, que no dialeto criolo significa BRASILINHA ou Pequeno Brasil.
Visitamos o Centro de Artes, Design e Artesanato, na Praça Nova, onde tem uma exposição temporária da artista Bela Duarte. Visitamos também o muro onde está a figura de outra cabo-verdiana ilustre: CESÁREA ÉVORA.
O povo cabo-verdiano é super simpático e hospitaleiro. Nosso guia, Danilo, nos disse uma frase que revela bem a força cultural e a beleza do casario de Mindelo, cidade da poetisa e cantora Cesárea Évora e da artista plástica Bela Duarte: “Praia é a capital, mas Mindelo é a principal!”
Na parte 4, vou falar sobre Cabo Verde e Brasília: uma circunstância histórica e trágica.
Continue Lendo

Artigos

MINDELO, A PRINCIPAL. CULTURA e CASARIO

(Parte 3)

Publicado

em

 

Hoje, 20, visitamos MINDELO, na Ilha São Vicente. Que grata surpresa!
Mindelo é conhecida em todas as ilhas de Cabo Verde como a BRASILIM, que no dialeto criolo significa BRASILINHA ou Pequeno Brasil.
Visitamos o Centro de Artes, Design e Artesanato, na Praça Nova, onde tem uma exposição temporária da artista Bela Duarte. Visitamos também o muro onde está a figura de outra cabo-verdiana ilustre: CESÁREA ÉVORA.
O povo cabo-verdiano é super simpático e hospitaleiro. Nosso guia, Danilo, nos disse uma frase que revela bem a força cultural e a beleza do casario de Mindelo, cidade da poetisa e cantora Cesárea Évora e da artista plástica Bela Duarte: “Praia é a capital, mas Mindelo é a principal!”
Na parte 4, vou falar sobre Cabo Verde e Brasília: uma circunstância histórica e trágica.
Continue Lendo

Reportagens

SRTV Sul, Quadra 701, Bloco A, Sala 719
Edifício Centro Empresarial Brasília
Brasília/DF
rodrigogorgulho@hotmail.com
(61) 98442-1010