Artigos

CENTRO DE PESQUISA DE CANGUÇU

Canguçu tem as peculiaridades do Cerrado e Amazônia, por isso, uma região de elevado interesse científico, tecnológico, econômico e social

 

Localizado entre o Parque Nacional do Araguaia e o Parque Estadual do Cantão, o Centro de Pesquisa de Canguçu registra maior frequência de estudantes, pesquisadores turistas observadores de aves. Apenas nos meses de fevereiro e março há uma restrição para o público em geral, pois o CPC reserva sua agenda exclusivamente para atividades de ensino, pesquisa e extensão da Universidade Federal do Tocantins (UFT) e parceiros da instituição. Canguçu deriva da palavra indígena CAA-GUAÇU, que significa mata grande ou mato grosso.

 

As expedições no Centro de Pesquisa de Canguçu, em Tocantins, são constantes por ser uma região de grande diversidade ecológica.

 

 

O Centro de Pesquisa de Canguçu está no sudoeste do Estado do Tocantins, nas confluências do Parque Nacional de Araguaia na Ilha do Bananal. O CPC gera oportunidade para diversas produções científicas, dissertações e teses de mestrado e doutorado. O trabalho no Canguçu é de um mutirão de universidades e instituições de pesquisas nacionais e internacionais. Estão neste mutirão o Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (IAG/USP), a Universidade Estadual do Tocantins (UNITINS) o campus de Palmas da Universidade Luterana do Brasil (CEULP/ULBRA), Universidade Federal do Tocantins (UFT), Universidade de New Hampshire (UEA) entre outras.

O Centro de Pesquisa Canguçu é localizado no município de Pium, sudoeste do Estado, entre duas importantes Unidades de Conservação: o Parque Nacional do Araguaia e o Parque Estadual do Cantão. Ele foi inaugurado em agosto de 1999 pela ONG de Palmas Instituto Ecológica.

Atualmente o CPC é gerenciado pela Universidade Federal do Tocantins e pelo Instituto Ecológica. A área é caracterizada por apresentar peculiaridades de cerrado e floresta amazônica. E por isso, uma região de elevado interesse científico, tecnológico, econômico e social.

 

Estrutura do Centro de Pesquisa Canguçu –  A região do Cantão, onde se encontra o Centro de Pesquisa Canguçu, possui elevado apelo científico, tecnológico, econômico e social

 

 

ESTRUTURA DO CENTRO

O Centro de Pesquisa está situado na região de maior biodiversidade do Estado de Tocantins, na transição do Cerrado com a Amazônia e uma das mais importantes em termos de conservação, proporcionando aos visitantes oportunidade para conhecer a fauna, a flora, a história e a geografia regional, com destaque para a Ilha do Bananal, maior ilha fluvial do mundo. O local é ideal para a prática da pesca esportiva e trilhas, sendo possível a observação de aves e, mais raramente, de onças-pintadas, ariranhas, cervos-do-pantanal e outras espécies.

Cedido à Universidade Federal do Tocantins em regime de comodato com o Instituto Ecológica, o CPC possui quatro suítes no bloco principal e sete apartamentos simples, com quatro leitos cada um, em bangalôs conexos. Há, ainda, área para camping com capacidade para 15 barracas pequenas, com um tanque/pia, duas duchas e dois banheiros.

 

 

Por ser a transição do Cerrado e Amazônia, a região guarda uma riqueza, uma diversidade de espécies de aves muito grande. Um paraíso para os observadores de aves.

 

 

A cozinha tem capacidade de processar alimentação para até 30 hóspedes, simultaneamente. No caso de grupos maiores, é possível acionar uma cozinha paralela, situada no bangalô de pesquisadores. O acesso pode ser previamente agendado na coordenação do Centro. Os visitantes precisam levar seus alimentos, roupa de cama e banho e jogos de talheres, pratos e copos. Os quatro servidores locais podem ser contratados à parte para prestação de serviços de cozinheira, guia para trilhas e piloteiro.

 

Grupo de estudantes de biologia buscam o Centro de Pesquisa de Canguçu para atividades científicas.

 

Para André Grassi Corrêa, guia de observação de pássaros em Canguçu, o local é de extrema importância para diversas modalidades no quesito ecológico, fauna e flora. “Na minha área da ornitologia e da observação de aves não é diferente. O local detém uma riqueza, uma composição faunística singular. Por ser a transição do Cerrado e Amazônia, a região guarda uma riqueza, uma diversidade de espécies de aves muito grande. É o paraíso para os observadores de aves”, garante o guia André Corrêa.

 

 

Artigos

SANTA CRUZ DE TENERIFE: QUANTA BELEZA, ARTE E CIVILIDADE

(Parte 5)

Publicado

em

 

Deixando o navio para visitar a cidade, me chamou logo a atenção um desfile, em pedestais, das maiores personalidade que já visitaram Tenerife. Deve ter uns 80 totens com fotos e pequena descrição de cada um. Lá estão Charles Darwin, Churchill, escritores, reis e rainhas. (Uma boa ideia para fazer em duas cidades que amo: São Lourenço-MG e Brasilia)
Duas personalidades me fizeram lembrar da “Folha do Meio Ambiente”: Marianne North e Alexander Von Humboldt.
Marianne porque morou vários anos no Rio de Janeiro e abriu uma grande série que fizemos no jornal chamada “NATURALISTAS VIAJANTES”.
Von Humbolt, fundador da moderna geografia física e autor do conceito de meio ambiente geográfico, fez uma das mais belas metáforas que já li quando visitou o Brasil e viu uma vereda coberta de vagalumes:
“OS VAGALUMES FAZEM CRER QUE, DURANTE UMA NOITE NOS TRÓPICOS, A ABÓBODA CELESTE ABATEU-SE SOBRE OS PRADOS”.
TENERIFE, PAISAGEM E CULTURA
Não foi à toa que o jornal “The Garden” escolheu Tenerife um dos melhores lugares do mundo para se viver.
Também não foi à toa que chegar ontem, dia 22, no Porto de Tenerife, havia 5 grandes transatlânticos, inclusive o da National Geographic, com turistas do mundo inteiro. Tanto a cidade de Santa Cruz de Tenerife, como a ilha são um convite às compras e passeios.
# O arquipélago das CANÁRIAS são formadas por 7 ilhas. Tenerife e Las Palmas são as principais cidades. Amanhã visitaremos outra ilha e Las Palmas.
# Tenerife se destaca por sua arquitetura contemporânea e diversificada. O auditório de Tenerife é singular e chama logo a atenção.
# A Praça da Espanha é o coração da cidade com um lago, fonte, rodeada de monumentos e esculturas gigantes. Espetacular!
# A rua central é só para pedestres. Um desfile de gente, de lojas de grife e cafés. Um charme!
# E se pode visitar o Parque Nacional do Teide, Patrimônio da UNESCO, onde tem um vulcão ativo de paisagem alucinante. No caderno de notas de Cristóvão Colombo (1492) aparece uma referência ao Teide em erupção.
É a segunda vez que visito Tenerife. Prometi a mim mesmo que vou voltar.
Fotos
1) Mapa do arquipélago
2 e 3) Toten com Marianne North e Von Humboldt
4) “Desfile” dos totens
5) filme da chegada do navio Norwegian Star
6) A cidade de Tenerife vista do navio
7) o vulcão Teide
Continue Lendo

Artigos

CABO VERDE: A ILHA DE BOA VISTA E BRASÍLIA

(Parte 4)

Publicado

em

 

No dia 20, visitamos MINDELO, na Ilha São Vicente. Que grata surpresa!
Mindelo é conhecida em todas as ilhas de Cabo Verde como a BRASILIM, que no dialeto criolo significa BRASILINHA ou Pequeno Brasil.
Visitamos o Centro de Artes, Design e Artesanato, na Praça Nova, onde tem uma exposição temporária da artista Bela Duarte. Visitamos também o muro onde está a figura de outra cabo-verdiana ilustre: CESÁREA ÉVORA.
O povo cabo-verdiano é super simpático e hospitaleiro. Nosso guia, Danilo, nos disse uma frase que revela bem a força cultural e a beleza do casario de Mindelo, cidade da poetisa e cantora Cesárea Évora e da artista plástica Bela Duarte: “Praia é a capital, mas Mindelo é a principal!”
Na parte 4, vou falar sobre Cabo Verde e Brasília: uma circunstância histórica e trágica.
Continue Lendo

Artigos

MINDELO, A PRINCIPAL. CULTURA e CASARIO

(Parte 3)

Publicado

em

 

Hoje, 20, visitamos MINDELO, na Ilha São Vicente. Que grata surpresa!
Mindelo é conhecida em todas as ilhas de Cabo Verde como a BRASILIM, que no dialeto criolo significa BRASILINHA ou Pequeno Brasil.
Visitamos o Centro de Artes, Design e Artesanato, na Praça Nova, onde tem uma exposição temporária da artista Bela Duarte. Visitamos também o muro onde está a figura de outra cabo-verdiana ilustre: CESÁREA ÉVORA.
O povo cabo-verdiano é super simpático e hospitaleiro. Nosso guia, Danilo, nos disse uma frase que revela bem a força cultural e a beleza do casario de Mindelo, cidade da poetisa e cantora Cesárea Évora e da artista plástica Bela Duarte: “Praia é a capital, mas Mindelo é a principal!”
Na parte 4, vou falar sobre Cabo Verde e Brasília: uma circunstância histórica e trágica.
Continue Lendo

Reportagens

SRTV Sul, Quadra 701, Bloco A, Sala 719
Edifício Centro Empresarial Brasília
Brasília/DF
rodrigogorgulho@hotmail.com
(61) 98442-1010