Reportagens

Cores, vida e sedução

Natureza Brasileira em Detalhe

Published

on

 


Cores, vida e sedução
Natureza Brasileira em Detalhe


Silvestre Gorgulho, de Brasília


A grandeza, a beleza e o épico da vida estão nos detalhes. É o detalhe de um gesto, de um olhar, de uma palavra ou de uma foto. Natureza Brasileira em Detalhe tem tudo isso: grandeza e belezas épicas. Em texto e fotografias. O livro, dividido em 12 capítulos, traz em detalhes a fantástica exuberância da biodiversidade brasileira. É de perder o fôlego! Cada foto de Fábio Colombini é um desfile de tesouros camuflados nas minúsculas formas de vida. Cada parágrafo de Evaristo Eduardo de Miranda é um convite para se voltar novamente à foto e entender os mistérios que envolvem a vida na Terra. Não perca uma só foto e uma só palavra deste livro que proporciona um caminhar de magia à grandiosidade dos detalhes da natureza. É a verdadeira leveza do ser.




Mistério e sedução da macrofotografia
A beleza da vida nos detalhes da biodiversidade


A Terra é um jardim. E um jardim deve ser visto em detalhes. Deus, a perfeição e a harmonia estão nos detalhes. Quase nunca, quem vê o global vê a exuberância de um detalhe. E a fotografia é assim. Para o fotógrafo, o detalhe de uma gotícula de água nos olhos de uma ave vale incrivelmente mais do que o sol refletindo na imensidão do oceano. E Fábio Colombini resolveu encarar esse desafio: descobrir outra floresta amazônica debaixo da floresta amazônica. Garimpar os tesouros escondidos na ciranda de 16 formigas rodeando uma minúscula gota de sereno numa pequena folha de uma árvore do Cerrado, na dança das abelhas, no namoro dos insetos, no desenho formado por grãos de areia, na textura, nos matizes, na luzes e nas cores de uma crisálida, na asa de uma libélula ou no voar de uma borboleta. Natureza Brasileira em Detalhe é um livro de 12 capítulos que leva o leitor, sem os percalços e sem as intempéries de tempo e de espaço, a viajar pela fantástica biodiversidade de todos os ecossistemas deste País. As fotos de Fábio Colombini são de tirar o fôlego e o texto do agrônomo e escritor “embrapiano” Evaristo Eduardo de Miranda é de pensar e sonhar. Colombini e Miranda formam uma dupla vitoriosa que conseguiu fazer um livro único. Uma viagem imperdível a um mundo desconhecido de mistério e sedução. E bem à altura das mãos.


“Existem plantas silenciosas e outras muito barulhentas.
A melhor hora para escutar as plantas é no amanhecer. À tarde elas ficam um tanto taciturnas. Quem caminha por um campo de soja ou trigo fica impressionado com o silêncio. Parece um mosteiro
vegetal. Mas basta entrar num pomar que o barulho é insurdecedor.
O ruído dos insetos nas flores lembra turbinas de avião”.
Evaristo Eduardo de Miranda








Libélulas acasalando





Formigas bebendo uma gota na folha






Louva-a-deus comendo borboleta






Uma onça suçuarana


“Sinto-me privilegiado por trabalhar com a natureza e observar-lhe os detalhes, pois neles vejo a grandeza de Deus. Sua presença e Seu amor nos envolvem, suavemente como a brisa, num constante encantar e
reencantar pela vida”.
Fábio Colombini








Postura de ovos do besouro (Deuterocampta flavosignata) -Parque Estadual Carlos Botelho (SP
)






Os penachos de uma seriema (Cariama cristata).



No detalhe, as coloridíssimas penas de uma Arara-canga (Scarlet macaw)


 


 









Cogumelos (Marasmius haematocephalus)






“Como não filosofar sobre a vida ao deparar com um ser rastejante e quase cego, que, após se recolher no interior de um casulo e ter o corpo totalmente liquefeito e reconstruído, renasce como borboleta?”
Fábio Colombini






“Natureza nos detalhes evoca algo da eternidade. O convite é para contemplar e borboletear em cada foto, bichinho, parágrafo e capítulo deste livro, um pouco fora do tempo, nos labirintos interiores de nossos sentidos”.
Evaristo Eduardo de Miranda


 


 



Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Reportagens

Consumidores apresentam quase 1 milhão de reclamações na Anatel

Queixas foram contra serviços de telefonia, internet e TV

Published

on

 

Relatório divulgado esta semana pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) mostra que durante o primeiro semestre de 2022, foram registradas um total de 951,3 mil reclamações contra prestadoras de serviços de banda larga fixa, TV por assinatura e telefonias móvel e fixa.

De acordo com a Anatel, o número de queixas apresentadas junto ao serviço de atendimento ao consumidor representa um volume 6,5% menor do que o registrado no segundo semestre de 2021. Segundo a agência, o Índice de Reclamações (IR), que é calculado a partir do número de reclamações mensais das prestadoras por mil acessos caiu de 0,55 para 0,51 entre o segundo semestre de 2021 em relação ao primeiro semestre de 2022.

“O resultado do primeiro semestre desse ano retoma a tendência de queda nas reclamações desde o recorde de 4 milhões de queixas registradas em 2015. A redução foi interrompida nos dois primeiros anos da pandemia de covid-19”, informou a agência.

O serviço que registrou maior número de reclamações foi referente ao celular pós-pago, com 360.068 queixas e com IR de 0,59. Em segundo lugar está o serviço de banda larga fixa, com 240.098 reclamações e IR em 0,81.

O serviço de celular pré-pago foi o terceiro maior alvo de reclamações, com 143.739 queixas e um IR de 0,20; seguido do serviço de telefonia fixa (135.271 reclamações e IR em 0,85) e da TV por assinatura (65.887 reclamações e IR em 0,72).

As reclamações contra as prestadoras desses serviços podem ser feitas de forma online, no site da Anatel, onde há uma área específica para isso, com um passo a passo que ajuda o consumidor a fazer a reclamação. Para acessá-lo, clique aqui.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC

 

Continue Reading

Reportagens

Ibama participou, no início deste mês, da Expoacre

Evento mostrou o papel do Instituto e sua importância para o país, como a efetiva preocupação com os diversos biomas brasileiros e as ações frequentes de fiscalização em prol do meio ambiente

Published

on

 

Rio Branco (15/08/2022) – O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) participou, em agosto, da 47ª edição do evento Expoacre, em Rio Branco (AC). Na ocasião, o Instituto apresentou em seu estande atividades relacionadas à fiscalização ambiental, combate aos incêndios florestais, regularização ambiental de áreas embargadas – dentre outras.

Os visitantes puderam ver fotografias de diversas ações do Ibama, além dos uniformes e veículos usados pela autarquia, equipamentos utilizados nas queimadas e até artesanatos indígenas apreendidos, que seriam enviados ilegalmente pelos Correios.

A equipe de educação ambiental da superintendência, junto ao supervisor de brigadas do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) no Acre, receberam duas turmas de crianças de escola pública do ensino fundamental para apresentar atividades voltadas à importância de não criar animais silvestres em casa, de não atear fogo em lixo nos quintais, de manter a floresta viva, bem como assistiram a uma palestra sobre como funciona a atuação do Instituto no combate ao fogo e também sobre o uso do fogo controlado. As crianças montaram quebra-cabeças da Turma do Labareda – mascote do Prevfogo – e receberam gibis com atividades educativas.

O Ibama preza pela Educação Ambiental (EA) no contexto da gestão ambiental pública, pois acredita ser uma atividade que, na atribuição da coletividade, constrói valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas à conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade. Este conceito consta no artigo 1° da Lei 9.795, de 1999, que define a Política Nacional de Educação Ambiental.

Assessoria de Comunicação Social do Ibama

 

 

 

Continue Reading

Reportagens

Dia dos Pais: entenda origem da data no Brasil e no mundo

Comemoração na maioria dos países ocorre em junho

Published

on

 

O segundo domingo de agosto é a data reservada no Brasil para homenagear os pais. Aqui, o Dia do Papai foi instituído pelo publicitário Sylvio Bhering em 1953, na época diretor do jornal O Globo e da Rádio Globo, conforme registros do site de memória da empresa de comunicação

Inicialmente, a data escolhida era 16 de agosto, quando a Igreja Católica celebrava São Joaquim, pai de Maria, a mãe de Jesus. O dia dedicado ao santo mudou, mas o oitavo mês do ano fez sucesso entre os comerciantes que ganharam um período para aquecer as vendas.

“O Dia das Mães já existia, então a ideia foi: por que não ter também um Dia dos Pais? E, aqui no Brasil, mais declaradamente, surgiu como uma ideia mercadológica, publicitária mesmo. Então muito ditado até mesmo para movimentar o comércio”, explicou Sérgio Dantas, professor de Marketing da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

A data foi consagrada em agosto e no domingo, tradicionalmente um dia de encontros familiares. São Joaquim passou a ser celebrado em 26 de julho, junto de Sant´Ana, mãe de Maria, que virou o Dia dos Avós.

Dantas, no entanto, indica outro provável motivo para a manutenção da homenagem em agosto. “Eu acredito que foi estrategicamente escolhido porque o comércio tem datas marcantes. A gente finaliza o ano com o Natal, que é a grande data. Tem depois, no primeiro semestre, o Dia das Mães, que é a segunda maior data de movimento. Logo depois, em junho, tem o Dia dos Namorados. E aí só o Dia das Crianças, em outubro. Acho que a ideia foi tentar espaçar isso ao longo do ano”, aponta. Entre essas datas, o Dia dos Pais foi a última a ser definida.

Outros países

As especificidades da data escolhida para o Brasil fazem com que o país seja um dos únicos a homenagear os pais em agosto. A data mais disseminada no mundo, reconhecida em pelo menos 70 países, é o terceiro domingo de junho, uma história que começa nos Estados Unidos.

Sonora Luise Smart, filha de um agricultor que lutou na Guerra Civil em 1862, queria homenagear o pai, William Jackson, que criou os filhos sozinhos após a morte da esposa.

A data escolhida para a primeira comemoração, ocorrida em 1910, foi 19 de junho, data do aniversário do pai de Sonora. A ideia se espalhou e foi oficializada, em 1966, pelo presidente Lyndon Johnson como o terceiro domingo de junho.

“Padronizou de ser no terceiro domingo, que até era um dia mais fácil das famílias estarem juntas e de vivenciarem o propósito do Dia dos Pais, que é justamente essa união, a comunhão. Como os Estados Unidos são um país que dita tendências, muitos países acabaram seguindo essa determinação deles”, aponta Dantas.

Há também países que celebram a data em 19 de março, Dia de São José, como Portugal, Espanha, Itália, Andorra, Bolívia e Honduras.

Edição: Lílian Beraldo

 

 

 

Continue Reading

Reportagens

SRTV Sul, Quadra 701, Bloco A, Sala 719
Edifício Centro Empresarial Brasília
Brasília/DF
rodrigogorgulho@hotmail.com
(61) 98442-1010