Artigos

Maior uso de cloro na pandemia aquece setor de plásticos anticorrosão

Brasil fabrica equipamentos como válvulas, sistemas de medição e controle adequados para processos de produção de hipoclorito de sódio

 

 

A exigência por eficiência sanitária na pandemia trouxe a necessidade de ampliação no uso de produtos como o cloro e a água sanitária, capazes de eliminar microrganismos. E como são substâncias altamente agressivas, apenas determinados equipamentos podem ser usados em contato com esses fluidos.

O crescimento nas vendas foi sentido tanto por indústrias para tratamento de água que utilizam o cloro, como a De Nora, quanto por fábricas de válvulas e sistemas de medição e controle, como a GEMÜ do Brasil.

“O crescimento nas vendas desde o início da pandemia foi de 30%”, conta Valderi Souza, responsável pela Engenharia e Assistência Técnica da De Nora, empresa italiana que está há 30 anos no Brasil. A multinacional conta com o fornecimento de sistemas de tratamento de água para plataformas de petróleo offshore que utilizam hipoclorito de sódio para evitar o crescimento de algas dentro da tubulação.

“É crucial termos segurança antivazamento e anticorrosão em todo o sistema, e com isso os produtos que instalamos devem ser resistentes à corrosão”, explica.

Entenda as vantagens do plástico contra vazamentos

Visto que o hipoclorito é altamente corrosivo e um oxidante muito forte, o metal não é indicado nesses casos, e sim o plástico. “Pela compatibilidade, quando o fluido corrosivo entra em contato com os equipamentos, eles não sofrem ataque químico”, conta o engenheiro.

Isso porque as características químicas e físicas dos diferentes fluidos operados em cada planta industrial exigem materiais específicos para os dutos e equipamentos com os quais terão contato. Para essa escolha, devem ser consideradas as condições de temperatura e pressão, com corpo da válvula e medidores de vazão construída em material plástico: PVC, PoliPropileno (PP) ou PVDF (fluoreto de polivinilideno).

Cada equipamento traz uma gama de aplicações – um aguenta temperaturas mais altas, outro, determinado produto químico etc. “Em geral, os plásticos têm um peso baixo devido à densidade reduzida, são apropriados para a produção seriada, exigem poucas etapas de operação, vêm em cores variáveis, o que pode auxiliar na identificação de maquinário, possuem resistência à tração e elasticidade contra rupturas, bom comportamento interior de elasticidade e deformação, boas propriedades antifricção e alta resistência química”, explica o gerente geral de vendas da área industrial da GEMÜ do Brasil, Mateus Souza. A empresa fornece esse tipo de equipamento há 40 anos, com planta em São José dos Pinhais (PR).

Outras tubulações que exigem o plástico por conta do cloro são os sistemas de piscina, estações de tratamento de água que realizam a dosagem do cloro, além de locais onde é utilizado o ácido sulfúrico.

GEMÜ é multinacional que atua em 50 países

O Grupo GEMÜ desenvolve válvulas, sistemas de medição e controle para líquidos, vapores e gases. No caso das soluções para aplicações estéreis, a empresa é líder mundial de mercado. Em 2020, registrou um faturamento acima de 330 milhões de euros, e conta atualmente com mais de 2 mil funcionários em todo o mundo. A GEMÜ atua em mais de 50 países, em todos os continentes.

 

Sobre a GEMÜ – A filial da multinacional alemã criada por Fritz Müller na década de 1960 disponibiliza ao mercado brasileiro válvulas de extrema eficiência e qualidade. A planta situada em São José dos Pinhais (PR), que conta com 100 colaboradores e completa 40 anos em 2021, produz válvulas e acessórios para o tratamento de água e efluentes em indústrias de todas as áreas, como siderurgia, fertilizantes e setor automobilístico, bem como para integrar sistemas de geração de energia. Na área de PFB (farmacêutica, alimentícia e biotecnologia), a GEMÜ é líder mundial e vende para toda a América Latina produtos de alta precisão, com atendimento local, além de consultoria com profissionais capazes de orientar na escolha da melhor solução em válvulas para cada aplicação. Mais informações: www.gemue.com.br.

 

 

 

 

Artigos

SANTA CRUZ DE TENERIFE: QUANTA BELEZA, ARTE E CIVILIDADE

(Parte 5)

Publicado

em

 

Deixando o navio para visitar a cidade, me chamou logo a atenção um desfile, em pedestais, das maiores personalidade que já visitaram Tenerife. Deve ter uns 80 totens com fotos e pequena descrição de cada um. Lá estão Charles Darwin, Churchill, escritores, reis e rainhas. (Uma boa ideia para fazer em duas cidades que amo: São Lourenço-MG e Brasilia)
Duas personalidades me fizeram lembrar da “Folha do Meio Ambiente”: Marianne North e Alexander Von Humboldt.
Marianne porque morou vários anos no Rio de Janeiro e abriu uma grande série que fizemos no jornal chamada “NATURALISTAS VIAJANTES”.
Von Humbolt, fundador da moderna geografia física e autor do conceito de meio ambiente geográfico, fez uma das mais belas metáforas que já li quando visitou o Brasil e viu uma vereda coberta de vagalumes:
“OS VAGALUMES FAZEM CRER QUE, DURANTE UMA NOITE NOS TRÓPICOS, A ABÓBODA CELESTE ABATEU-SE SOBRE OS PRADOS”.
TENERIFE, PAISAGEM E CULTURA
Não foi à toa que o jornal “The Garden” escolheu Tenerife um dos melhores lugares do mundo para se viver.
Também não foi à toa que chegar ontem, dia 22, no Porto de Tenerife, havia 5 grandes transatlânticos, inclusive o da National Geographic, com turistas do mundo inteiro. Tanto a cidade de Santa Cruz de Tenerife, como a ilha são um convite às compras e passeios.
# O arquipélago das CANÁRIAS são formadas por 7 ilhas. Tenerife e Las Palmas são as principais cidades. Amanhã visitaremos outra ilha e Las Palmas.
# Tenerife se destaca por sua arquitetura contemporânea e diversificada. O auditório de Tenerife é singular e chama logo a atenção.
# A Praça da Espanha é o coração da cidade com um lago, fonte, rodeada de monumentos e esculturas gigantes. Espetacular!
# A rua central é só para pedestres. Um desfile de gente, de lojas de grife e cafés. Um charme!
# E se pode visitar o Parque Nacional do Teide, Patrimônio da UNESCO, onde tem um vulcão ativo de paisagem alucinante. No caderno de notas de Cristóvão Colombo (1492) aparece uma referência ao Teide em erupção.
É a segunda vez que visito Tenerife. Prometi a mim mesmo que vou voltar.
Fotos
1) Mapa do arquipélago
2 e 3) Toten com Marianne North e Von Humboldt
4) “Desfile” dos totens
5) filme da chegada do navio Norwegian Star
6) A cidade de Tenerife vista do navio
7) o vulcão Teide
Continue Lendo

Artigos

CABO VERDE: A ILHA DE BOA VISTA E BRASÍLIA

(Parte 4)

Publicado

em

 

No dia 20, visitamos MINDELO, na Ilha São Vicente. Que grata surpresa!
Mindelo é conhecida em todas as ilhas de Cabo Verde como a BRASILIM, que no dialeto criolo significa BRASILINHA ou Pequeno Brasil.
Visitamos o Centro de Artes, Design e Artesanato, na Praça Nova, onde tem uma exposição temporária da artista Bela Duarte. Visitamos também o muro onde está a figura de outra cabo-verdiana ilustre: CESÁREA ÉVORA.
O povo cabo-verdiano é super simpático e hospitaleiro. Nosso guia, Danilo, nos disse uma frase que revela bem a força cultural e a beleza do casario de Mindelo, cidade da poetisa e cantora Cesárea Évora e da artista plástica Bela Duarte: “Praia é a capital, mas Mindelo é a principal!”
Na parte 4, vou falar sobre Cabo Verde e Brasília: uma circunstância histórica e trágica.
Continue Lendo

Artigos

MINDELO, A PRINCIPAL. CULTURA e CASARIO

(Parte 3)

Publicado

em

 

Hoje, 20, visitamos MINDELO, na Ilha São Vicente. Que grata surpresa!
Mindelo é conhecida em todas as ilhas de Cabo Verde como a BRASILIM, que no dialeto criolo significa BRASILINHA ou Pequeno Brasil.
Visitamos o Centro de Artes, Design e Artesanato, na Praça Nova, onde tem uma exposição temporária da artista Bela Duarte. Visitamos também o muro onde está a figura de outra cabo-verdiana ilustre: CESÁREA ÉVORA.
O povo cabo-verdiano é super simpático e hospitaleiro. Nosso guia, Danilo, nos disse uma frase que revela bem a força cultural e a beleza do casario de Mindelo, cidade da poetisa e cantora Cesárea Évora e da artista plástica Bela Duarte: “Praia é a capital, mas Mindelo é a principal!”
Na parte 4, vou falar sobre Cabo Verde e Brasília: uma circunstância histórica e trágica.
Continue Lendo

Reportagens

SRTV Sul, Quadra 701, Bloco A, Sala 719
Edifício Centro Empresarial Brasília
Brasília/DF
rodrigogorgulho@hotmail.com
(61) 98442-1010